PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Nova ajuda financeira para cidades é publicada em decreto

Cotidiano

07 de maio de 2021 16:00

Agência Senado


Relacionadas

Paraná confirma mais 10.415 casos de covid neste domingo

Polícia flagra mais de 800 pessoas em aglomerações

Saúde distribui 7,6 milhões de doses da vacina da AstraZeneca

PR ultrapassa 5 milhões de doses aplicadas contra a Covid
Queiroga lamenta a morte de 500 mil brasileiros
Nise Yamaguchi processa senadores da CPI por danos morais
Relator pede que mandato de Dr. Jairinho seja cassado
Lei permite uso de recursos remanescentes de fundos de saúde. Foto: Divulgação/Govesp
PUBLICIDADE

A intenção é socorrer os entes federativos para que continuem enfrentando as crises sanitária e econômica decorrentes da pandemia do novo coronavírus

O presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) sancionou a Lei Complementar 181, que concede facilidades nas regras de refinanciamento das dívidas de estados com a União. A sanção foi publicada na edição desta sexta-feira (7) do Diário Oficial da União.

A intenção é socorrer os entes federativos para que continuem enfrentando as crises sanitária e econômica decorrentes da pandemia do novo coronavírus. A norma permite, por exemplo, prazo adicional para a celebração de aditivos contratuais e mudanças nos critérios de indexação dos contratos de refinanciamento de dívidas. 

A lei é resultado do Projeto de Lei Complementar 10/2021, do senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS), aprovado no Senado em 13 de abril passado, com 75 votos favoráveis e nenhum contrário. 

Fundos

Com a sanção presidencial, haverá também extensão até o fim de 2021 da autorização concedida a estados, Distrito Federal e municípios para utilizarem, em serviços de saúde, saldos financeiros remanescentes de anos anteriores dos fundos que tenham origem em repasses do Ministério da Saúde. 

O relator do projeto no Senado, Esperidião Amin (PP-SC), disse que os saldos de recursos transferidos pela União aos fundos estaduais, em 31 de dezembro de 2019, eram de R$ 15,8 bilhões. E que, no final de 2020, o saldo remanescente era de R$ 23,8 bilhões, sendo cerca de R$ 9 bilhões nos estados e R$ 14 bilhões nos municípios.

Informações: Agência Senado.

PUBLICIDADE

Recomendados