PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Conta de luz residencial vai subir 8,97% no Paraná

Cotidiano

22 de junho de 2021 17:16

Da Redação


Relacionadas

Paraná já aplicou mais de 7,5 milhões de doses contra a covid

Conexões com Nova Ferroeste vão aumentar competitividade da produção

Paraná registra mais 20 mil casos e 194 óbitos por covid-19

Mulher é assassinada na frente dos filhos no PR
PR finaliza compra emergencial de insulina e inicia distribuição
Anvisa recebe pedido para uso de novo imunizante
Escolas do Paraná pedem maior número de alunos em sala
Alta vale a partir de quinta-feira Foto: Divulgação/AEN
PUBLICIDADE

Alta passa a valer a partir desta quinta-feira, dia 24. Alta média será de 10,04% para os consumidores de baixa tensão e de 9,57% para consumidores de alta tensão

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou, nesta terça-feira (22), a revisão tarifária periódica da Copel. A alta para os consumidores residenciais será de 8,97%, e passará a valer já a partir desta quinta-feira, dia 24. Dessa forma, o incremento vai passar a impactar diretamente nas contas fechadas a partir do próximo mês, de julho.

Além disso, a Aneel também autorizou a alta média de 10,04% para os consumidores de baixa tensão e de 9,57% para consumidores de alta tensão (indústrias e empresas), o que representa um efeito médio para o consumidor de 9,89%. A distribuidora atende a 4,8 milhões de unidades consumidoras, localizadas em 394 municípios do estado do Paraná. Os consumidores residenciais representam 81% dos clientes da Copel.

Segundo nota da Aneel, “vale ressaltar que o conjunto de ações tomadas pela Agência para mitigar as tarifas, entre elas a conta-covid e o reperfilamento do pagamento do financeiro da RBSE das transmissoras, colaborou para amenizar os índices. Esse trabalho foi realizado com total transparência com os agentes e respeitando rigorosamente os compromissos previstos em contratos”. Ainda de acordo com a nota da Aneel, o efeito médio foi impactado, especialmente, pelos custos com encargos setoriais e atividades relacionadas ao transporte e a distribuição de energia. “Cabe destacar que o empréstimo da conta-covid proporciona amortecimento de – 3,14% no processo tarifário”.

PUBLICIDADE

Recomendados