PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Indústria puxa o recorde na geração de empregos no PR

Cotidiano

30 de julho de 2021 21:16

Fernando Rogala


Relacionadas

Bolsonaro pode viajar para NY sem se vacinar? Entenda

Acidente no PR mata bebê, criança e dois adultos

Fiscalização fecha sete estabelecimentos no Paraná

Curitiba espera vacinar 126 mil pessoas com 2ª dose da vacina
PM prende 32 pessoas e apreende drogas no Paraná
UEL abre processo seletivo para contratação de professores
Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos em Itatiba
O setor industrial respondeu por 35.321 (30%) das 118.316 vagas formais abertas no Estado no primeiro semestre de 202 Foto: Gelson Bampi/FIEP
PUBLICIDADE

Setor respondeu por 35.321 (30%) das 118.316 vagas formais abertas no Estado nos primeiros seis meses de 2021, com reflexo em outros setores

O melhor semestre na geração de empregos no Paraná desde de 2011 foi puxado pela indústria. O setor respondeu por 35.321 (30%) das 118.316 vagas formais abertas no Estado no primeiro semestre de 2021. Tiveram bom desempenho também as divisões de comércio (23.299), informação (23.290), construção (15.311) e administração pública (12.129). Os dados levam em consideração o saldo de carteiras assinadas no período, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na quinta-feira (29) pelo Ministério do Trabalho.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior atribui o bom desempenho a uma série de medidas adotadas pelo governo para impulsionar o setor econômico, bastante afetado pela crise sanitária decorrente da pandemia da Covid-19. Ele ressaltou que desde o começo da gestão, em 2019, foram confirmados mais de R$ 45 bilhões de investimentos privados no Estado. Muitos deles, citou, na instalação de novas plantas no Estado, como a Tirol em Ipiranga, nos Campos Gerais, ou a ampliação de sedes já instaladas no Paraná, como a fábrica de margarina da BRF, em Paranaguá, no Litoral.

“O Paraná vive um bom momento, fruto da união de todos os setores e da paz política que há mais de 30 anos não ocorria no Estado. Isso traz segurança para os empresários, que enxergam no Paraná um ótimo local para ampliar os seus negócios”, afirmou Ratinho Junior.

“Como consequência, geramos mais empregos em todas as regiões, com maior distribuição de renda. Vamos avançar mais. E mesmo diante das incertezas da pandemia, não tenho dúvida de que 2021 será um ano histórico para o Paraná”, acrescentou.

Ele ressaltou que a produção industrial paranaense teve crescimento de 20% entre janeiro e maio de 2021, na comparação com os primeiros cinco meses do ano passado, o quinto melhor resultado do País, de acordo com a última amostragem da Pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). No Brasil, a média de crescimento no período foi de 13,1%.

“O Paraná tem uma indústria forte e diversificada, que está contribuindo para o Estado superar a crise causada pela pandemia”, disse. “E a expansão da indústria impacta em todos os setores, puxa a geração de empregos e ajuda a desenvolver as cidades”, afirmou o governador.


Produção industrial cresceu 20% em 2021

Para o economista da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Evânio Felippe, os números são reflexo do crescimento da produção industrial, que acumula alta de 20% este ano. “São nove meses seguidos de resultados positivos no setor produtivo industrial no estado. E isso claramente repercute no aumento de empregos”, justifica.

No primeiro semestre do ano passado, já com a pandemia em curso no Brasil, a indústria havia fechado 8.630 vagas. Um cenário bem diferente do que ocorre agora. “A confiança do empresário na economia e nos negócios, que também se elevou nos últimos quatro meses, sugere uma maior segurança para fazer investimentos e contratar mais trabalhadores”, explica.

Outro ponto, argumenta o economista, é o ritmo de imunização que vem avançando para faixas etárias mais jovens, que formam a força de trabalho. “A vacinação tem refletido em números mais favoráveis de controle da pandemia e isso interfere no ambiente econômico. Com mais pessoas retomando suas atividades, a tendência é de mais recursos circulando, aumento do consumo, produção acelerada nas fábricas e mais oportunidades no mercado de trabalho”, resume.

A recuperação de áreas como serviços e comércio também impactou positivamente na atividade industrial. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor de serviços representou 63% do PIB total do país em 2020 e o comércio, 12%. “A retomada destas atividades estimula a produção nas indústrias para poder atender à demanda gerada e isso incentiva o crescimento acelerado de todo o setor produtivo”, completa.


Números

O Estado acumula saldos positivos na geração de empregos ao longo de todo o ano de 2021. Os 118.316 postos formais abertos no semestre são a somatória dos meses de janeiro (25.105), fevereiro (41.453), março (10.600), abril (9.773), maio (15.527) e junho (15.858). Foram 752.694 admissões e 634.378 desligamentos. No mesmo período do ano passado, quando o impacto da pandemia de Covid-19 foi mais forte no setor produtivo, o Paraná fechou o semestre com saldo negativo de 49.708.

Até então, o melhor desempenho do Estado no acumulado dos primeiros seis meses tinha sido em 2011, quando 93.085 postos foram abertos. Os números foram baixando gradualmente nos anos seguintes, até atingir saldo negativo de -16.512 vagas no primeiro semestre de 2016.

Entre os estados que lideraram a abertura de vagas, o Paraná ficou atrás apenas de São Paulo (491.021), Minas Gerais (185.578) e Santa Catarina (126.111) no período.


Com informações das assessorias e AEN

PUBLICIDADE

Recomendados