PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Ministros do TSE reforçam segurança do sistema eleitoral

Cotidiano

02 de agosto de 2021 15:11

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Senado aprova PEC da reforma eleitoral

Preso, 'Hulkinho do tráfico" agia como ex-capa da Playboy

Morador confunde ladrão com "assombração" em assalto

Receita libera consulta a último lote de restituição do IR 2021
Cultura lança Prêmio Selo Circo Amigo para reconhecer artistas
Receita Federal restitui quase R$ 3 milhões na região
Acidente com oito veículos deixa três mortos na BR-476
Nota foi publicada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira (2). Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
PUBLICIDADE

Lideranças frisam que a urna eletrônica é auditável em todas as etapas do processo eleitoral: antes, durante e depois

O presidente, vice-presidente, futuro presidente e todos os ex-presidentes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desde a redemocratização assinam nota, divulgada nesta segunda-feira (2), na qual frisam que a urna eletrônica é auditável em todas as etapas do processo eleitoral: antes, durante e depois.

“A Justiça Eleitoral, por seus representantes de ontem, de hoje e do futuro, garante à sociedade brasileira a segurança, transparência e auditabilidade do sistema. Todos os ministros, juízes e servidores que a compõem continuam comprometidos com a democracia brasileira, com integridade, dedicação e responsabilidade”, afirmam.

Os 18 ministros e ex-ministros do tribunal que assinam a manifestação afirmam também que “o voto impresso não é um mecanismo adequado de auditoria a se somar aos já existentes por ser menos seguro do que o voto eletrônico, em razão dos riscos decorrentes da manipulação humana e da quebra de sigilo”.

A nota é divulgada na semana em que a Câmara tenta novamente aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso e após o registro, no último domingo (1º), de protestos em cidades do país em defesa dessa pauta. O voto impresso é defendido pelo presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) e seus apoiadores.

Acesse a nota na íntegra clicando aqui.

Com informações: Congresso em Foco.

PUBLICIDADE

Recomendados