Grafite pode ser tornar cultura a ser protegida no Paraná

Projeto de Lei em tramitação na Assembleia Legislativa do Paraná quer reconhecer a prática como manifestação artística de valor cultural a ser fomentada no Estado.

Projeto quer tornar grafite como manifestação artística de valor cultural.
Projeto quer tornar grafite como manifestação artística de valor cultural. -

Rodolpho Bowens

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Projeto de Lei em tramitação na Assembleia Legislativa do Paraná quer reconhecer a prática como manifestação artística de valor cultural a ser fomentada no Estado

Um projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) quer tornar reconhecida a prática do grafite como manifestação artística de valor cultural. A proposta 425/2021, protocolada pelo deputado Boca Aberta Jr. (PROS), determina que as artes sejam realizadas com o objetivo de valorizar o patrimônio público ou privado, desde que autorizada por estes. “É papel do Estado garantir o acesso à cultura, como direito de cidadania. Sendo assim, este projeto de lei visa proteger e dar visibilidade ao setor de grafite por estes motivos”, diz o parlamentar na justificativa da matéria.

De acordo com a proposta, os temas dos grafites não poderão conter conteúdo publicitário. Por isso, diz o projeto, as intervenções artísticas não poderão fazer referências a marcas ou produtos comerciais. Também não poderão conter referências ou mensagens de cunho pornográfico, racista, preconceituoso, ilegal ou ofensivo a minorias, grupos religiosos, étnicos ou culturais.

Para Boca Aberta Jr., o projeto tem o poder de democratizar a arte em espaços públicos. “O grafite é um tipo de arte urbana caracterizado pela produção de desenhos em locais públicos como paredes, edifícios, ruas, viadutos. É bastante usado como forma de crítica social. Além disso, é uma maneira de intervenção direta na cidade, democratizando assim os espaços públicos”, explica o parlamentar.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia vai analisar a legalidade e constitucionalidade da matéria. Caso aprovado, o projeto de lei estará apto para ser apreciado pelas demais Comissões da Assembleia antes de seguir ao plenário.

Com informações: Assembleia Legislativa do Paraná.

Assuntos semelhantes:

Ensino domiciliar no Paraná é aprovado em 1º turno na Alep.

Assembleia Legislativa debate a retomada de eventos no Paraná.

Alep aprova projeto que delega PRs à União para novo pedágio.