PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Mulher incendeia motorista ao ser zombada por mau hálito

Cotidiano

13 de setembro de 2021 13:51

Da Redação


Relacionadas

Primavera é marcada pela manifestação de alergias

Venda de imóvel de programa habitacional é proibida

Confiança do industrial no Paraná cai em setembro

Tiroteio em Curitiba resulta em suspeito morto e dois presos
Profissionais de saúde vão receber dose de reforço
Alexandre Garcia é demitido ao defender tratamento precoce
Ratinho Jr. sanciona lei que destina R$ 480 mi à Educação
PUBLICIDADE

Walisson Barbosa dos Santos, de 35 anos, passou 11 dias internado, mas não resistiu aos ferimentos

 

Morreu no último domingo (12), o motorista de ônibus que teve 80% do corpo queimado em Anápolis, a 55 km de Goiânia, no início do mês. Walisson Barbosa dos Santos, de 35 anos, passou 11 dias internado, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com informações da Polícia Civil, Walisson teve três paradas cardíacas na madrugada e estava com quadro avançado de infecção.

“Não era essa a notícia que queríamos dar, infelizmente. Esperamos justiça pelo meu irmão”, declarou Gislaine Maria dos Santos, irmã da vítima.

O caso aconteceu no último dia 1º. Na ocasião, uma mulher ateou fogo em Walisson quando o motorista estava dentro de um ônibus no terminal da cidade.

Câmeras de segurança flagraram o momento em que a mulher se aproxima da porta do veículo. Momentos depois, chamas tomam conta do interior do ônibus.

Walisson teria zombado do mau hálito da suspeita

Segundo a delegada responsável pela investigação do episódio, Cynthia Cristiane, o crime aconteceu porque o motorista e outros funcionários do local ficavam cobrindo o nariz quando a suspeita falava. Irritada, a mulher adquiriu etanol e deu início ao incêndio.

"Ela foi até um posto de combustíveis, comprou etanol e ateou fogo contra a vítima. Ontem, esse motorista teria feito gesto de tampar o nariz", contou Cristiane na época.

Imediatamente após o crime, a mulher foi contida por outros passageiros até a chegada da polícia. Segundo a delegada, ela não demonstrou nenhum arrependimento pelo ataque.

Com a morte de Walisson, a mulher, que não teve a identidade revelada, pode responder pelo crime de homicídio.

 

Com informações do Yahoo


 

PUBLICIDADE

Recomendados