PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos em Itatiba

Cotidiano

19 de setembro de 2021 15:00

Da Redação


Relacionadas

Tempestade atinge 35 mil pessoas em 69 cidades no PR

CCR RodoNorte chega a marca de 5 mil vidas salvas no Paraná

Hospital Cajuru realiza arrecadação para melhorar a estrutura

Polícia Rodoviária comemora 57 anos com entrega de medalhas
Saúde confirma 1.604 novos casos e 45 óbitos pela Covid-19
PSDB do PR realiza lançamento do segmento evangélico
DER reúne 56 municípios para formalizar doações de veículos
Ator morreu aos 87 anos, em casa Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

De acordo com informações da família, ele estava em tratamento contra um câncer desde 2018


O ator Luis Gustavo Blanco morreu neste domingo (19), aos 87 anos, em Itatiba (SP). Ele sofreu complicações por conta de um câncer no intestino. De acordo com informações da família, Luis Gustavo estava em tratamento contra a doença desde 2018 e morreu em casa.

O ator nasceu em Gotemburgo, na Suécia, no dia 2 de fevereiro de 1934. Foi o Beto Rockfeller (1968), na novela da TV Tupi, que inovou a linguagem do gênero. A estreia dele na Globo foi em 1976.

Dentre os personagens mais marcantes do artista está o o costureiro Ariclenes Almeida/Victor Valentin em "Ti Ti Ti" e Vanderlei Mathias, o Vavá, no programa "Sai de Baixo", ambos da TV Globo.

Fez diversas novelas, como "Anjo Mau" e "Duas Vidas", em 1976, "Te Contei?", em 1978, "Elas por Elas", em 1982, "Ti-Ti-Ti", em 1985, "O Salvador da Pátria", em 1989, "Mico Preto", em 1990, "O Mapa da Mina", em 1993, "O Beijo do Vampiro", em 2002, "Começar de Novo", em 2004, "O Profeta", em 2006, "Três Irmãs", em 2008", "Cama de Gato", em 2009, "A vida da gente", em 2011, "Joia Rara", em 2013, e "Êta Mundo Bom!", em 2016.

Também participou de "Malhação", em 2012, e do seriado "As Cariocas: A Invejosa de Ipanema", em 2010. Fez ainda "Xuxa Especial de Natal – no Mundo da Imaginação", em 2003.

Tornou-se assistente de direção de vários programas, entre eles o teleteatro TV de Vanguarda. Após uma pequena participação no filme "Amada Amante", de Cláudio Cunha, e uma passagem pela TV Bandeirantes, Luis Gustavo voltou à Globo na pele do detetive Mário Fofoca.

O artista foi vacinado contra a Covid-19 em fevereiro deste ano, em Itatiba, cidade onde morava. A aplicação da dose foi feita em um sistema drive-thru no Ambulatório Central de Especialidades.


Veja abaixo o comunicado da Globo sobre a morte do ator:

"Se apaga o sorriso do ator e comediante Luis Gustavo.

Luis Gustavo sempre se dedicou à comédia. Dizia que as crianças eram seus grandes professores: se não riam, o personagem não estava pronto. O intérprete dos eternos Mario Fofoca e tio Vavá nos deixa hoje, dia 19, aos 87 anos, em decorrência de complicações por conta de um câncer no intestino.

Luis Gustavo era casado com Cris Botelho, pai de Luis Gustavo Vidal Blanco, fruto de seu relacionamento com Heloísa Vidal, e de Jéssica Vignolli Blanco, fruto de seu casamento com a falecida atriz Desireé Vignolli, avô de Marina Hoagland Blanco Buzzone, e tio de Tato Gabus Mendes e Cássio Gabus Mendes, também atores.

Encarnando grandes personagens cômicos da telenovela brasileira, Luis Gustavo Blanco merece um capítulo especial na história da televisão. Nascido em 02 de fevereiro de 1934, em Gotemburgo, na Suécia, de pais espanhóis, ele chegou ao Brasil ainda criança e adotou São Paulo como o lugar para criar suas raízes.

Mesmo viajando constantemente ao Rio de Janeiro, o ator não se intimidava pela ponte aérea entre as cidades e se considerava um paulista de alma e coração. O ator passou os últimos anos morando em Itatiba, no interior de São Paulo.

O grande ‘Tatá’, apelido que o acompanhou por toda a vida e como era conhecido entre os mais íntimos, começou a carreira trabalhando durante cinco anos atrás das câmeras, sendo contrarregra, auxiliar de iluminação e cinegrafista.

Mas a vontade de estrear na parte artística falou mais alto. Tornou-se assistente de direção de vários programas, entre eles o teleteatro TV de Vanguarda. Foi lá que, por acaso, fez a sua estreia como ator, na peça ‘Mas Não se Matam Cavalos’, de Horace McCoy.

A partir dali, jamais abandonou a interpretação. Sua primeira novela foi ‘Se o Mar Contasse’, de Ivani Ribeiro, na TV Tupi, em 1964. Também na emissora, atuou em ‘O Sorriso de Helena’, ‘O Direito de Nascer’, ‘O Amor Tem Cara de Mulher’ e ‘Estrelas no Chão’. Paralelamente ao trabalho na TV, o ator também dava início à sua carreira no teatro.

Em 1967, pela atuação em ‘Quando as Máquinas Param’, de Plínio Marcos, ganhou o prêmio de melhor ator da Associação Paulista de Críticos de Teatro (APCT). Em 1968, Luis Gustavo participou da criação de um marco da telenovela brasileira, ‘Beto Rockfeller’, momento importante de sua carreira.

O ator também deu vida a outros personagens que caíram no gosto do público, como o costureiro Ariclenes Almeida/Victor Valentin em ‘Ti Ti Ti’, o músico cego Léo em ‘Te Contei?’ e o playboy Ricardo em ‘Anjo Mau’, todas escritas por Cassiano Gabus Mendes.

O personagem mais memorável do ator, no entanto, foi sem sombra de dúvidas o atrapalhado detetive particular Mário Fofoca em ‘Elas por Elas’ também de Cassiano. Depois, Luis Gustavo estrelaria com este mesmo personagem um seriado homônimo e o filme ‘As Aventuras de Mário Fofoca’.

Durante vários anos, Luis Gustavo atuou ainda como Vanderlei Mathias, o Vavá, no programa humorístico dominical da TV Globo ‘Sai de Baixo’. Seus últimos trabalhos na emissora foram ‘Brasil a Bordo’ e ‘Malhação: Vidas Brasileiras’, ambos exibidos em 2018."

Com informações G1

PUBLICIDADE

Recomendados