PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Primavera é marcada pela manifestação de alergias

Cotidiano

25 de setembro de 2021 20:51

Da Redação


Relacionadas

CCR RodoNorte realiza quase 60 mil atendimentos

Paraná busca ampliar auxílio emergencial a 25 mil empresas

CPI conclui depoimentos e relatório será lido na quarta

Para novembro, Petrobras teme desabastecimento no Brasil
Cachorro faz pose e seduz passageira de carro vizinho
Ratinho Junior entrega caminhões-pipa para 46 cidades do Paraná
Estado divulga lista do programa Bolsa Qualificação Cultural
Alergias se manifestam mais na primavera Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Dados da OMS apontam que 35% dos brasileiros possuem algum tipo de alergia. Especialistas ensinam como amenizar os sintomas

Oficialmente a primavera começou na última quarta-feira (22). É comum, nesta época do ano, as alergias se manifestarem com maior intensidade, devido a polinização que é característica dessa época do ano, e que é inevitável. Segundo a Organização Mundial de Saúde, as alergias afetam 35% da população brasileira.

Somente as alergias respiratórias mais comuns nesta época atingem em torno de 40% da população em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial da Alergia. No Brasil, a mais popular é a rinite, seguida da asma, interferindo diretamente na vida de 20% dos brasileiros.

A boa notícia é que esses sintomas como coriza, espirros, sensação de nariz e garganta secos, podem ser amenizados com ações do dia a dia. De acordo com o Otorrinolaringologista da Paraná Clínicas, Dr. Yasser Jebahi (CRM 18912. RQE 15093), algumas dicas podem diminuir o desconforto das alergias.


1: Hidratação

Uma das características do início da primavera, é o longo período de seca e a baixa umidade do ar. Para o médico, é preciso “a ingestão hídrica 1,5 a 2 litros ao dia, além da hidratação da cavidade nasal com soro fisiológico e higienização correta das máscaras, para que assim, as crises sejam amenizadas e haja maior conforto das vias aéreas”, destacou.


2: Atitudes em casa

Manter uma rotina de limpeza dos espaços é essencial para que as crises não se tornem rotina. Além disso, é necessário que lençóis, fronhas, cobertores, edredons, sejam trocados ao menos uma vez por semana. Outra dica importante é utilizar umidificadores em casa, devidamente limpos, além de manutenção rotineira em ares condicionados tanto de veículos quanto residenciais.


3: Evite objetos que possam piorar as crises

Vários fatores podem desencadear as crises alérgicas, como pelos, poeira, cheiros fortes e outros. A dica do médico é desviar dessas situações. “Se a pessoa tiver animais de estimação em casa, o ideal é que ele tome banho ao menos uma vez por semana e mantenha a tosa em dia. Outro ponto importante é cuidar ao limpar a casa, preferir a utilização de panos úmidos a vassouras e, por fim, mas não menos importante, prestar atenção em quais cheiros desencadeiam as crises e acabar por não utilizar perfumes, produtos de limpeza, desodorantes, amaciantes e outros itens que possam exalar cheiro intenso”, ressaltou Dr. Yasser.

O profissional ainda alerta que algumas alergias são mais trabalhosas para o controle, mas o tratamento contínuo com um especialista é a forma mais eficiente de manter a saúde e evitar as crises. “Já quando o paciente estiver com crise aguda, é preciso ir até um hospital, relatar ao médico os sintomas e, depois da avaliação profissional, entrar com medicamento. É muito importante lembrar a todos que alergia é coisa séria e não deve ser medicada por conta própria”, finalizou o médico. 


Com informações da assessoria de imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados