PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Auxílio Brasil deve beneficiar 17 milhões de brasileiros

Cotidiano

17 de outubro de 2021 17:56

Da Redação


Relacionadas

Governo mantém parcelamento do IPVA em 5 vezes

Exames identificam casos da ômicron no Brasil, diz Anvisa

Paraná quer garantir reajuste no salário mínimo regional de 2022

Presidente Jair Bolsonaro assina filiação à sigla do PL
Adolescente assassinado no PR tinha voltado de retiro espiritual
Aplicativos que roubam dinheiro dos usuários; veja a lista
Fãs saem no soco em pré-venda de Homem-Aranha 3
ministro da Cidadania, João Roma, detalhou as novidades e os diferenciais do Auxílio Brasil Foto: Fabio Pozzebom/Agência Brasil
PUBLICIDADE

Ministro da Cidadania detalhou o novo programa, substituto do Bolsa Família, que vai interligar ferramentas do Estado e integrar políticas públicas para a população de baixa renda


Anunciado em agosto deste ano, o novo programa de transferência de renda, o Auxílio Brasil, deve substituir o Bolsa Família em novembro. Em entrevista ao Brasil em Pauta, o ministro da Cidadania, João Roma, detalhou  as novidades e os diferenciais do Auxílio Brasil.

De acordo com o ministro, o novo programa vai interligar ferramentas do Estado e integrar políticas públicas para a população de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade.

Segundo ele, o principal diferencial do Auxílio Brasil é oferecer não apenas proteção social, mas também a possibilidade de transformação social que se dará por meio da capacitação para acesso ao mercado de trabalho. Roma diz que, para isso, contará com o apoio do Sistema S.

O programa também trará mecanismos para proteção da primeira infância e de segurança alimentar com o aperfeiçoamento de iniciativas já existentes como o Criança Feliz e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Com o objetivo de estimular as pessoas a buscarem novos caminhos sem medo de perder o benefício, está sendo viabilizado, segundo Roma, uma regra de permanência em que a pessoa, mesmo conquistando um emprego, por exemplo, possa permanecer por até dois anos sem perder o auxílio.

A ideia é que o valor possa ser reajustado, passando dos atuais R$ 190 para cerca de R$ 300. O auxílio, que hoje contempla cerca de 14 milhões de famílias, deve passar a atender 17 milhões.

O Brasil em Pauta, com a entrevista do ministro, vai ao ar neste domingo (17), às 19h30, na TV Brasil, em uma conversa onde ele também abordou outros programas da pasta como o Brasil Fraterno, que combate a insegurança alimentar e nutricional, e o Bolsa Atleta, auxílio essencial para cerca de 7 mil atletas brasileiros.


As informações são da Agência Brasil

PUBLICIDADE

Recomendados