PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Vendaval provoca estragos em 16 cidades do Paraná

Cotidiano

24 de outubro de 2021 14:46

Da Redação


Relacionadas

Homem com faca faz filho de 14 anos refém no PR

Cooperativismo do PR projeta faturar R$ 150 bi em 2021

Governo vai impor parâmetros de financiamentos para IES

Ônibus com mais de 20 pessoas pega fogo e fica destruído
Acordos para duplicação da BR-163 ultrapassa R$ 12 milhões
Bombeiros e Samu já realizaram 77 atendimentos nas rodovias
Corpo de jovem do PR é encontrado enterrado em praia
Foto: reprodução
PUBLICIDADE

Em dez das 16 cidades atingidas, teve chuva de granizo.

As fortes rajadas de vento associadas à chuva volumosa deixaram um rastro de estragos em diversos municípios neste final de semana. Ao todo 384 pessoas foram atingidas, 32 foram desalojadas e 16 permanecem em abrigos provisórios neste domingo (24).

Em dez das 16 cidades atingidas, teve chuva de granizo. Foz do Iguaçu registrou o maior número de ocorrências, com 600 residências danificadas na passagem do vendaval. Oito pessoas ficaram desabrigadas, outras seis foram afetadas e seis estão desalojadas.

Já em Moreira Sales, 70 casas ficaram danificadas com a chuva de granizo que caiu por lá. Ao todo 369 pessoas foram afetadas e 20 desalojadas. Santa Terezinha de Itaipu contabilizou estragos em nove casas, nove pessoas foram afetadas e seis desalojadas. No município de Goioerê 10 residências sofreram algum tipo de dano e em Maringá oito moradores estão desabrigados.

ATENDIMENTO

A Secretaria de Justiça, Família e Trabalho do Governo do Paraná está com as equipes em campo para ajudar no socorro às vítimas. Profissionais da assistência social auxiliam a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros no atendimento aos desalojados e desabrigados.

Equipes da Copel atuam em todos os municípios atingidos para reestabelecer a energia. O número de imóveis sem luz neste domingo está sendo atualizado.

O secretário Ney Leprevost desencadeou o plano de contingência do SUAS (Sistema Único de Assistência Social). A primeira ação foi ajudar a alojar as pessoas, o que está sendo feito pelo Corpo de Bombeiros e pela rede de assistência social de todos os municípios.

“A Defesa Civil está realizando um levantamento completo da situação. O governador Ratinho Júnior está muito preocupado e me autorizou a orientar os prefeitos que sentirem necessidade real para que decretem estado de calamidade, pois assim poderemos liberar recursos para os municípios atingidos comprarem material de construção para as pessoas reconstruírem suas casas”, informou o secretário de Justiça, Família e Trabalho.

Leprevost disse que está pedindo aos prefeitos, através de suas secretarias de Assistência Social, que organizem postos de coletas de donativos para as vítimas das tempestades. “A urgência é garantir teto, cobertores, água potável e alimentação”, explicou.

ORIENTAÇÃO

Os municípios que precisarem de orientação neste domingo, podem entrar em contato com os escritórios da Sejuf na sua região ou com Larissa Marsolik, chefe do Departamento de Assistência Social da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho pelo celular 41 9 9943-3687 ou email [email protected]

“A previsão é de mais chuva nas próximas horas. O atendimento de ponta é feito pelo Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e as prefeituras. Mas nós, da Sejuf, vamos nos manter mobilizados para ajudar em tudo que for necessário”, afirmou Leprevost.

Com informações da AEN. 


PUBLICIDADE

Recomendados