PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

PR lança primeiro comitê de sustentabilidade do Brasil

Cotidiano

25 de outubro de 2021 17:29

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Receita paga hoje restituições do IRPF de novembro

'Mari do Prexecão' leva invertida após expor convite

Primeira parcela do 13º salário deve ser paga hoje

Bebê é encontrado sozinho em rodovia de SC
Fim de semana termina com 31 atendimentos no Litoral
Anvisa aprova novo tratamento para HIV
Fusão de empresas cria gigante do TI com foco no varejo
PUBLICIDADE

Dentre os desafios possíveis abarcados pelo comitê, estão soluções para a crise hídrica, energia renovável, emissão de gases poluentes e tratamento de resíduos sólidos

O Paraná é o primeiro estado a unir a iniciativa privada e o poder público para promover, de forma concreta, a sustentabilidade. Nesta segunda-feira (25), o Governo do Estado lançou o primeiro comitê público-privado sobre ESG do País, juntando lideranças em prol de ações sobre questões ambientais, sociais e de governança.

A iniciativa promove uma cooperação entre representantes de empresas públicas, privadas e secretarias estaduais, apresentando boas práticas existentes pelo mundo e criando novos projetos relacionados à sustentabilidade.

Na prática, o grupo passa a enfrentar de forma coordenada os desafios socioambientais do Estado. O comitê é liderado pelo Governo do Estado e pelo Grupo Boticário, e já conta com a adesão de empresas como Klabin, JBS, Sanepar, Renault, Itaipu e Volkswagen. “Lançamos hoje essa iniciativa que reúne grandes empresas privadas do nosso Estado que já têm essa preocupação ambiental há muito tempo. Junto ao poder público, vamos criar soluções para o futuro, consolidando o Paraná como o Estado mais sustentável do Brasil e expandindo essa preocupação com toda a sociedade”, ressaltou o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD).

“A atenção à sustentabilidade precisa promover equilíbrio entre geração de emprego, preocupação social e ambiental. Nosso objetivo será atingido quando cada cidadão paranaense tiver a consciência de que esses três pilares estão integrados e devem caminhar juntos”, acrescentou o governador.

A proposta é que uma nova reunião seja realizada até dezembro para definir uma pauta de até dez objetivos estratégicos e escolher representantes de cada grupo de trabalho. Na sequência, as ações serão desenvolvidas de forma paralela. A cada seis meses, o comitê se encontrará para analisar os resultados alcançados.

Artur Grynbaum, vice-presidente do Conselho do Grupo Boticário e co-líder da iniciativa, pontua que a parceria é uma inovação, podendo ser replicada e virar exemplo para outras regiões. De acordo com ele, do ponto de vista socioambiental, há enormes desafios no Paraná e no mundo. Através de uma dinâmica compartilhada entre os setores público e privado, será possível encontrar as melhores soluções. “Vamos procurar estabelecer prioridades, remover barreiras e colocar os recursos necessários para avançar nessa agenda composta por questões ambientais, sociais e de desenvolvimento econômico. Queremos não só um melhor ambiente de negócios, mas uma melhor qualidade de vida para toda a população. Vai ser um trabalho muito rico e produtivo”, afirmou Grynbaum.

Para Cristiano Teixeira, diretor-geral da Klabin, o comitê deve catalisar as pautas da agenda ESG, que já têm grande potencial no Estado. “O setor de celulose e papel tem estado na vanguarda da sustentabilidade. Temos o desenvolvimento sustentável como um objetivo atrelado à estratégia de negócios, norteando nossos esforços em prol do fortalecimento econômico e social das comunidades onde  estamos inseridos. Ficamos honrados em participar do comitê de ESG no Paraná, Estado no qual atuamos desde 1934 e que suportou nossos principais ciclos de expansão", afirmou.

A ponte com as empresas para a construção do comitê foi realizada pela Invest Paraná, autarquia responsável pela atração de investimentos no Estado. Eduardo Bekin, diretor-presidente da instituição, explica que a metodologia será construída de forma conjunta. “O Governo precisa se engajar na pauta ESG e, para isso, precisávamos ter a metodologia e a assertividade que empresas referência no tema possuem. Quem vai tocar o grupo é o setor privado, encabeçado pelo Grupo Boticário, criando reuniões periódicas e semestrais. O governo vai colaborar através das secretarias, engajado juntos aos presidentes das empresas”, detalhou.

Temas e objetivos

Dentre os desafios possíveis de serem abarcados pelo comitê, estão soluções para a crise hídrica, energia renovável, emissão de gases poluentes, tratamento de resíduos sólidos, além de capacitação de grupos minoritários para empregabilidade pelo setor privado.

A neutralidade na emissão de carbono é um dos tópicos que o diretor de Assuntos Governamentais da Volkswagen, Antônio Megale, aponta como uma medida que está sendo adotada pela empresa e que pode ser compartilhada. “Essa iniciativa é excepcional porque colocamos juntos a iniciativa privada e pública para analisar as melhores práticas sendo realizadas no Estado. Temos a meta de zerar a emissão de carbono no nosso grupo até 2050, reduzindo em 50% até 2025. Vamos trazer essas iniciativas que temos internamente para o debate com outras empresas e com o Estado pensando em promover o bem para a sociedade”, afirmou o diretor.

Esse tópico é um possível ponto de acordo entre os atores. O Paraná já é signatário de dois acordos da Organização das Nações Unidas (ONU) que promovem ações para minimizar as mudanças climáticas: a Race to Zero, que tem como meta zerar as emissões líquidas de carbono até 2050, e a Race to Resilience, que almeja tornar 4 bilhões de pessoas de comunidades vulneráveis ​resilientes às mudanças climáticas até 2030.

Do lado das empresas públicas, a cooperação pode acelerar a criação de novas ações de impacto socioambiental. É o caso da Sanepar, que trabalha diretamente com um dos elementos mais cruciais para o desenvolvimento sustentável e mais atingidos pelas mudanças climáticas: a água. “Essa atitude nos auxilia a alçar voos maiores. Junto de um grupo tão seleto e com tantas pessoas conhecedoras do tema, vamos sair do discurso e ir para a prática. A conscientização vale desde uma criança até grandes empresas e governos”, pontuou Claudio Stabile, presidente da Sanepar.

Presenças

Também compareceram ao evento o vice-governador Darci Piana; o chefe da Casa Civil, Guto Silva; a procuradora-geral do Estado, Leticia Ferreira da Silva; o secretário estadual da Fazenda Pública, Renê Garcia Junior; o secretário estadual do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge; o secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes; o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano; o diretor de Governança, Risco e Compliance da Copel, Vicente Loiacono Neto; o vice-presidente e diretor de Operações do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Wilson Bley Lipski; Alex Felipe Follmann, representante da Itaipu Binacional; o diretor executivo de Relações Institucionais da Renault, Marcus Aguiar; o CEO da Klabin, Cristiano Teixeira; o diretor administrativo da Nissei, Alexandre Maeoka; e o presidente da Positivo Tecnologia, Hélio Rotemberg. De forma on-line, participaram a diretora executiva de Assuntos Corporativos da JBS, Marcela Rocha, e o CEO da Volkswagen, Pablo Di Si.

Com informações: Agência Estadual de Notícias.

PUBLICIDADE

Recomendados