PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Saúde reforça conscientização sobre o câncer de pele

Cotidiano

03 de dezembro de 2021 10:22

Agência de Notícias do Paraná


Relacionadas

PR alinha nova cooperação técnica com governo da Itália

Paraná carrega nova parcela do Cartão Comida Boa nesta terça

Cachorro viaja mais de 100km para morder seu antigo dono

Motorista de app é enganado e recebe moedas de chocolate
Falsa acusação faz homem ser espancado até a morte no PR
Paraná possui 8 cidades em alerta de abastecimento
Parcelas do Minha Casa Minha Vida da Faixa 1 são suspensas
O objetivo da ação é conscientizar sobre a doença, uma das mais incidentes no Brasil. Foto: SESA
PUBLICIDADE

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele

Dezembro é sinônimo de início do verão, sol, dias mais quentes, e também de chamar a atenção da população para o câncer de pele, com a campanha Dezembro Laranja. O objetivo da ação é conscientizar sobre a doença, uma das mais incidentes no Brasil.

A Secretaria da Saúde acompanha os casos no Paraná e faz o alerta para o aumento de procedimentos cirúrgicos em oncologia para câncer de pele, que passaram de 3.146 em 2020, para 3.414 neste ano (até novembro). Nos atendimentos ambulatoriais, o aumento foi maior, cerca de 27,4%, de 635 para 809. Os dados são do Sistema de Informação Ambulatorial (SIA) e do Sistema de Informação Hospitalar (SIH), do Sistema Único de Saúde.

“O alerta à população é fundamental. Ambos os tipos de câncer têm altas taxas de cura se descobertos logo no início, por isso a importância em manter hábitos que ajudarão na prevenção da doença. Em 2020, com a pandemia, muitas pessoas deixaram de procurar os serviços de saúde. Este ano começaram a retomar para exames e consultas que deixaram de fazer”, alertou o secretário de Saúde, Beto Preto.

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. O câncer nesse órgão pode ser dividido em dois tipos: melanoma e não melanoma. O primeiro é mais raro e pode levar ao óbito, já o segundo, também um tumor maligno, é o mais frequente entre homens e mulheres. Apesar da baixa taxa de mortalidade, pode deixar o paciente com marcas ou deformações no corpo.

Sintomas

Os sintomas da doença são manchas na pele, pintas ou sinais que coçam, ardem, descamam ou sangram e feridas que não cicatrizam em até quatro semanas.

Diagnóstico

Ao observar algumas dessas alterações, é muito importante procurar o serviço de saúde, onde será realizado exame clínico e investigação diagnóstica. É preciso ficar atento ao próprio corpo e acompanhar o aparecimento ou crescimento de pintas e sinais na pele podem ajudar no diagnóstico precoce.

De acordo com a Chefe da Divisão de Atenção às Neoplasias da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Rejane Cristina Teixeira Tabuti, é muito importante que as pessoas se observem, acompanhem e notem se houver mudanças na pele. "O último mês do ano marca a campanha do Dezembro Laranja, que nos lembra de olhar com cuidado para o maior órgão do corpo: a pele", afirmou.

Cuidados

Dois dos principais cuidados são evitar a exposição excessiva à radiação solar, principalmente entre 10h e 16h, e utilizar o filtro solar. Mas existem outras atitudes que podem ajudar na diminuição dos números de casos, tais como:

– Usar chapéus, camisetas, óculos escuros e protetores solares.

– Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida, calças e um chapéu de abas largas.

– Evitar a exposição solar.

– Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.

– Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou de diversão.

– Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo. Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. Ao utilizar o produto no dia a dia, aplicar uma boa quantidade pela manhã e reaplicar antes de sair para o almoço.

– Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas.

– Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses.

– Os trabalhadores que estão expostos à luz solar direta deve redobrar os cuidados com a pele.

Com informações: Agência de Notícias do Paraná.

PUBLICIDADE

Recomendados