PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Darci Piana faz homenagem ao Esquadrão Antibombas do PR

Cotidiano

14 de janeiro de 2022 21:09

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Ratinho Jr. institui lei que amplia transparência em licitações

PR cria Conselho de Reitores das Universidades Estaduais

Serviço jurídico gratuito na Alep já atende mais de 280 pessoas

Exportações do agronegócio paranaense crescem 13,9%
Sensação térmica chega perto dos 50ºC no RJ
Lei do PR garante inclusão de nome do cônjuge em fatura
Ômicron faz 17 mil paranaenses buscarem 1ª dose da vacina
À direita se encontra o vice-governador do Paraná, Darci Piana (PSD). Foto: Camila Tonett.
PUBLICIDADE

Criado em 15 de janeiro de 1992, EAB completa 30 anos neste sábado (15)

No fim da tarde desta sexta-feira (14), a Polícia Militar do Paraná (PMPR) comemorou o 30º aniversário do Esquadrão Antibombas (EAB), subunidade do Batalhão de Operações Especiais (Bope). A solenidade aconteceu na sede da Comunidade Israelita do Paraná, em Curitiba, e contou com a presença do vice-governador do Estado, Darci Piana (PSD). Criado em 15 de janeiro de 1992, o grupamento faz o enfrentamento ao uso criminoso de artefatos explosivos em todo o Paraná.

“São 30 anos de trabalho para montagem de um esquadrão que tenha capacidade suficiente para enfrentar qualquer dificuldade. Aquilo que acontecia há 30 anos não acontece mais, os equipamentos e a tecnologia avançaram e esse esquadrão está sendo preparado, ao longo desses anos, para enfrentar a criminalidade do século 21”, destacou o vice-governador, que também recebeu uma moeda comemorativa.

O evento homenageou policiais do esquadrão e autoridades com moedas alusivas ao trigésimo aniversário do EAB. Foram honrados os atuais e os ex-integrantes e técnicos do grupamento, além de operadores mais antigos e policiais que foram feridos por explosivos durante operações. Também foi descerrada uma placa comemorativa pelos 30 anos da divisão.

O subcomandante-geral da PMPR, coronel Rui Noé Barroso Torres, ressaltou a evolução e a especialização do EAB. “No início dos trabalhos, nós tínhamos apenas dois policiais, que foram os primeiros a se especializarem fora do Brasil no ofício de manusear e combater artefatos explosivos. Ao longo da história, o Esquadrão Antibombas cresceu, se desenvolveu, com seu corpo de operadores se especializando cada vez mais. Hoje o esquadrão do Paraná é referência no Brasil e fora dele, dos níveis mais básicos até a atuação em missões mais complexas”, contou.

Segundo o comandante do Bope, major Sérgio Augusto da Silva, o trabalho dos operadores antibombas salva vidas. “Nós não conseguimos mensurar quantas foram salvas, quantos crimes evitados pela apreensão de materiais. É um trabalho excepcional que faz a diferença”, explicou. “O Esquadrão Antibombas é referência nacional em tecnologia e desenvolvimento técnico. Foi a primeira unidade explosivista que fez uso de uma roupa antifragmentação no Brasil, o traje mais moderno que existe para proteger o militar que estiver em operação”.

A missão do EAB é atender ocorrências que envolvam bombas, prestando serviço técnico para evitar acidentes. A atuação se dá em casos específicos e que exigem alto grau de treinamento, dedicação e responsabilidade. Ele é acionado, por exemplo, em situações de arrombamento a bancos e caixas eletrônicos, explosão de veículos ou locais com uso deste artefatos, entre outros.

Evolução

O Esquadrão Antibombas recebeu em 2021 dois trajes para serem utilizados pelos operadores durante o atendimento às ocorrências envolvendo artefatos explosivos. Os equipamentos foram importados ao custo de R$ 1,2 milhão, recurso obtido pela Secretaria da Segurança Pública junto ao Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Além disso, a subunidade tem estimulado a produção de artigos científicos e publicação de periódicos sobre operações antibomba. Um exemplo foi o lançamento da Revista Brasileira de Operações Antibombas, graças a uma parceria do Esquadrão com a Academia Policial Militar do Guatupê (APMG). O material visa a tratar do tema com maior riqueza técnica, aperfeiçoando operadores e atualizando conceitos e doutrinas.

História

O Esquadrão Antibombas pertencia ao Comandos e Operações Especiais (COE) no início dos anos 90. Em 2000, o grupo adquiriu o status de Equipe Antibombas e, em 2011, com a reestruturação do COE, passou a ter o nome Esquadrão Antibombas. Já em 2013, devido ao aumento das atividades e serviços prestados, o grupo se desmembrou do COE e passou a ser uma das subunidades do Bope.

Presenças

Estiveram presentes na cerimônia o Chefe da Casa Militar, tenente-coronel Sérgio Vieira Benício; o diretor-geral da Secretaria de Estado da Segurança Pública, João Alfredo Zampieri; o comandante do Esquadrão Antibombas, capitão Ricardo Cruz da Silva; o presidente da Federação Israelita do Paraná; Isac Baril; o presidente da Comunidade Israelita, David Bergman; o juiz federal da 9ª Vara Federal de Curitiba, Marcos Josegrei da Silva; o delegado regional executivo de Polícia Federal, Roberto Mello Milaneze; e amigos do Esquadrão.

Com informações: Agência Estadual de Notícias.

PUBLICIDADE

Recomendados