PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Alep mantém restrições para minimizar avanço da covid-19

Cotidiano

17 de janeiro de 2022 19:06

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Morte de jovem por infarto comove município do Paraná

Mãe é presa suspeita de matar e torturar filha com deficiência

Prefeitura de SP 'decreta' banho facultativo por conta do frio

Dia Mundial da Doação de Leite é celebrado nesta quinta-feira
Ciclone subtropical começa a se afastar do litoral brasileiro
Última parcela do IPVA para as placas de finais 5 e 6 vence hoje
Amigos enfrentam frio intenso para acampar no Pico Caratuva
Ademar Traiano (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do Paraná. Foto: Dálie Felberg/Alep.
PUBLICIDADE

Medidas foram estabelecidas por Ato da Comissão Executiva e começaram a valer nesta segunda-feira (17); sessões voltam em 2 de fevereiro

A Comissão Executiva da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) decidiu manter as medidas restritivas de prevenção à covid-19 no retorno às atividades que acontece nesta quarta-feira (19). O acesso aos prédios do Legislativo continuará controlado e restrito apenas para servidores e autoridades autorizadas. A medida tem como objetivo minimizar os riscos de contaminação do coronavírus. O Ato com todas as medidas detalhadas foi publicado no Diário Oficial desta segunda-feira (17).

Nos setores administrativos, no máximo, 25% dos servidores permanecerão em trabalho presencial, podendo ser adotadas escalas de rodízio. Nos gabinetes parlamentares, será permitida a presença de até quatro servidores. Nas Lideranças do Governo e da Oposição serão cinco servidores no máximo. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) funcionará com até quatro servidores presenciais. As demais Lideranças, Comissões e Blocos poderão contar com apenas dois funcionários. Quem não estiver em trabalho presencial será submetido ao teletrabalho, conforme disciplina a Resolução nº 3/2020.

Também serão mantidas medidas a aferição da temperatura de todos que acessam a Casa e o uso obrigatório da máscara em todas as dependências. “Mais uma vez se faz necessário adotarmos a cautela e o bom senso. Seria imprudente da nossa parte retomar as atividades 100% presenciais nesse momento. Desde o início da pandemia, procuramos preservar a saúde de todos e agora não seria diferente”, afirmou o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB) ao ressaltar que o Legislativo paranaense foi um dos que melhor se adaptou ao ambiente virtual imposto pela pandemia. “Depois de quase dois anos, estamos adaptados à nova realidade imposta pela pandemia. Portanto, será uma retomada tranquila para que muito em breve possamos estar todos de volta à Assembleia”.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro secretário da Assembleia Legislativa, lembrou que junto de todas essas medidas preventivas, a ação mais importante no combate ao coronavírus é a vacinação. “Estamos recomendando a adoção por todos do ciclo vacinal completo. Essa é uma medida que é absolutamente necessária para todos. Os dados nos mostram a importância da vacina na redução do agravamento dos casos da covid e, consequentemente, de mortes. É uma questão de saúde coletiva”.

Todos os deputados, servidores, autoridades e profissionais da imprensa que estiverem presencialmente na Assembleia Legislativa devem comunicar à Coordenadoria do Serviço Médico o registro de qualquer sintoma indicativo de contaminação, como febre, tosse, dor de garganta, mialgia, dor de cabeça, prostração e dificuldade de respirar. A notificação também é obrigatória nos casos de contato com pessoa contaminadas ou com suspeita de contaminação.

Casos específicos

Gestantes, lactantes, doentes crônicos ou servidores com outras comorbidades, como hipertensão, diabetes, problemas respiratórios, oncológicos e doenças degenerativas, ficam dispensados da obrigatoriedade do trabalho presencial mediante avaliação do Serviço Médico da Assembleia Legislativa do Paraná, de acordo com a Matriz de Classificação de Risco Associada à Comorbidades reconhecida pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba.

Votações

As sessões plenárias voltam a ser realizadas a partir de 2 de fevereiro. Eventos coletivos e sessões solenes que não tenham relação direta com as atividades legislativas do plenário ficam proibidos.

Com informações: Assembleia Legislativa do Paraná.

PUBLICIDADE

Recomendados