PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Conselho vai financiar projeto de energia limpa na OAB/PR

Cotidiano

24 de janeiro de 2022 16:09

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Rede estadual se destaca no combate ao abandono escolar

Bolsonaro se reúne com bilionário Elon Musk em SP

Governo oferta pós-graduação em gestão pública do esporte pela UEPG

Confira o resultado do concurso para o Censo do IBGE
Ratinho Jr. se encontra com Bolsonaro em Curitiba
Frio permanece no fim de semana em toda região Sul
Mulher deixa cartaz com recado no carro do ex-marido no Pará
Sede da OAB Paraná receberá, por meio de financiamento, painéis solares. Foto: Reprodução/Redes Sociais.
PUBLICIDADE

Após a instalação dos painéis solares, ideia é reduzir os custos e efetivar ações sustentáveis

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aprovou o apoio financeiro à implementação do projeto de instalação de painéis de energia solar na sede da OAB Paraná. Com esse projeto, a OAB Paraná visa a reduzir custos e efetivar mais uma ação alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual é uma das signatárias.

De acordo com a presidente da OAB Paraná, Marilena Winter, os estudos mostraram a viabilidade e a eficácia do projeto. “Além da economia, essa é uma medida que se mostra ambientalmente eficiente, motivando a OAB/PR a buscar apoio junto ao Conselho Federal, o que se concretizou e tornou possível a execução”, disse a presidente.

O conselheiro federal e diretor tesoureiro da OAB Nacional, José Augusto Araújo de Noronha, explicou que a diretoria do Conselho Federal tem procurado estimular todas as seccionais que têm projetos de energia renovável. “Pretendemos que todas as seccionais tenham nos próximos três anos grande parte do seu consumo gerado a partir de energia limpa, pelo sistema de placas solares fotovoltaicas. O objetivo é que diminuam o custo fixo para que possam investir na própria atividade da nossa instituição”, afirmou.

Para Noronha, com essa economia, as seccionais podem investir mais na Escola Superior de Advocacia, na melhoria das estruturas físicas e principalmente gerar melhores condições de trabalho para os advogados. “Temos muito orgulho em estimular esse projeto. Queremos que esse legado possa se transformar numa cultura que vise sempre a eficiência e o cuidado com o meio ambiente, que são os dois principais vetores de uma gestão de sucesso”, destacou.

Com informações: Assessoria de Imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados