PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Mulher reaparece após ser dada como morta no litoral de SP

Cotidiano

23 de maio de 2022 10:59

Da Redação


Relacionadas

Santin Roveda apoia plano para a agroindústria e turismo rural

Sicredi chega à marca de 6 milhões de associados

PR encaminha 2 mil pessoas para leitos hospitalares por dia

PR investe R$ 55,3 milhões nas forças de segurança do estado
Paraná prorroga vacinação contra a gripe
'Auge' do inverno poderá ter dias de forte calor
Mistério em bar: 22 jovens são encontrados mortos
Jovem ficou desaparecida por 10 horas Foto: Arquivo - aRede
PUBLICIDADE

A esteticista caminhava na praia, quando uma forte onda a derrubou e a levou para longe da areia

Priscila Pereira da Silva, 46, viveu um verdadeiro milagre essa semana após se salvar de um afogamento. A esteticista de Guaraú, litoral paulista, caminhava com a patroa na praia quando uma forte onda a derrubou e a levou para longe da areia.

Ela ficou desaparecida por 10 horas e chegou a ser dada como morta pelo Corpo de Bombeiros. Nas redes sociais, amigos e familiares fizeram homenagens póstumas a ela até o momento em que ela reapareceu na cidade. Ela foi socorrida depois de nadar de cachorrinho até umas pedras e se embrenhar por um trilha até chegar a uma estrada. A aventura narrada com satisfação é digna de filme porque antes de se salvar, Priscila ficou um bom tempo boiando à espera de algum socorrista.

Porém, nenhum socorro chegou e ela passou a se preocupar porque cada vez mais se afastava do local onde tinha se afogado. Foi então que Priscila pensou na filha, de 7 anos, e decidiu que nadaria até chegar em terra firme. De longe ela avistou uma ilha e passou a nadar e boiar na esperança de que alguém a avistasse e chamasse socorro.

No caminho para a ilha ela chegou a afundar duas vezes e a vomitar. Com arranhões e machucado por todo o corpo pelas vezes em que bateu nas pedras, Priscila lembra do alívio que foi conseguir ficar em pé. Depois de descansar ali por um tempo, a esteticista percebeu que havia um caminho na ilha e resolveu arriscar. De biquíni e toda machucada, ela subiu uma trilha e caminhando chegou a estrada que liga Peruíbe até Guaraú. Entretanto, por causa de sua condição, nenhum motorista parou para ajudá-la com medo. Até que ela foi avistada pela amiga Fábia Martins do Nascimento, que a reconheceu. Emocionada, Fábia foi segurando a mão da amiga até chegar à cidade.

Priscila depois soube que era considerada como morta pela família e que a patroa até mesmo havia contratado uma psicóloga para tratar de sua filha. Aliviada e com senso de humor, Priscila diz que agora tem receio de voltar ao mar: "Morri, mas passo bem".

Com informações: Yahoo Notícias

PUBLICIDADE

Recomendados