PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Com novos copilotos e avião apreendido, PCPR se fortalece

Cotidiano

25 de maio de 2022 17:04

Da Redação


Siga o a rede no Google News

Relacionadas

Governo do Estado lança edital da Ponte de Guaratuba

Major da PM é preso suspeito de tentar furtar cortina em loja

Pastor é condenado a 18 anos de prisão por ódio contra judeus

Procon-PR expede recomendação a postos do Estado
Após traição, blogueira manda 'dar susto' em ex e ele é morto
Paranaenses voltam do Canadá depois de semestre de aulas
Passagens intermunicipais ficam mais caras a partir de hoje
PCPR passa a ter três novos copilotos no Grupamento de Operações Aéreas Foto: GOA/PCPR
PUBLICIDADE

O Grupamento de Operações Aéreas da PCPR já conta com quatro helicópteros. Com a formação de copilotos para o avião, a expectativa é aperfeiçoar o trabalho do Grupamento, já que a aeronave pode transportar uma equipe e fazer voos mais distantes e noturnos.


A Polícia Civil do Paraná (PCPR) tem três novos copilotos no Grupamento de Operações Aéreas (GOA). São investigadores policiais que passaram por curso para formação de pilotos comerciais, o que permitirá o emprego do avião bimotor da instituição em missões de polícia judiciária.

O Grupamento de Operações Aéreas da PCPR já conta com quatro helicópteros, operados por comandantes, copilotos e operadores aerotáticos. Com a formação dos copilotos para o avião, a expectativa do delegado chefe do GOA, Renato Coelho, é aperfeiçoar o trabalho.

“Com o avião temos a possibilidade de transportar uma equipe policial com mais rapidez e à noite, o que dará mais autonomia ao GOA. O avião contribuirá nos voos mais distantes, já que o helicóptero é mais específico para apoio em operações policiais de cumprimento de mandados”, afirma o delegado.

O avião Beecheraft Baron B58 foi apreendido pela Polícia Federal durante uma operação, em 2017, e foi repassado à PCPR em 2020.

O comandante do avião será cedido pela Casa Militar do Governo do Estado. Conforme o termo de cooperação assinado entre as duas instituições, a PCPR, em contrapartida, cederá a aeronave para atividades da Casa Militar, quando necessário. Quando os copilotos atingirem 500 horas de voo na aeronave, eles serão promovidos ao cargo de comandante e a instituição será autônoma na pilotagem do bimotor. A proficiência dos servidores levará de um a dois anos.


Com informações da Agência Estadual de Notícias

PUBLICIDADE

Recomendados