PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Matheus Costa detona arbitragem contra o Cruzeiro

Esporte

21 de janeiro de 2021 08:59

Da Redação


Relacionadas

Operário faz estreia pelo Paranaense no GK neste domingo

Brasileiro de Basquete é suspenso após decreto em PG

Operário garante vaga na Copa do Brasil 2021

Mesmo com derrota, Flamengo é bi do Brasileirão
Partida de futebol em SC é adiada após avanço da Covid-19
NBPG vence a segunda partida e lidera Brasileiro de Basquete
Campeonato Carioca será transmitido pela RIC Record TV
Fantasma teve gol mal anulado e perde a chance de colar no G4 da Série B Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
PUBLICIDADE

Para o treinador alvinegro, Operário também teve que jogar contra a arbitragem no Mineirão

A coletiva de imprensa do técnico Matheus Costa após a derrota do Operário para o Cruzeiro na noite desta quarta-feira (20) deixou clara a mistura de sentimentos do torcedor alvinegro. Ao mesmo tempo em que a atuação e entrega do time foram elogiadas, não faltaram críticas à arbitragem, que anulou aquele que seria o gol da virada do Fantasma no estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Por videoconferência, o treinador alvinegro disse ser “inaceitável” perder um jogo por causa da arbitragem, mas ao mesmo tempo elogiou o elenco e se mostrou esperançoso pela temporada 2021. “Desde o início do jogo, percebemos que seria minado contra nós, que teríamos que jogar não só contra o Cruzeiro, mas também contra a arbitragem. Tenho que parabenizar o nosso grupo pela postura, intensidade e entrega”, avalia o técnico.

Costa também acredita que a postura demonstrada diante da Raposa nesta noite poderá render bons frutos ao Operário nas próximas competições. “Eu vejo que o sonho não acabou, porque o Operário, se permanecer com essa postura, essa vontade de vencer e esse espírito de luta, conquistará muitas coisas boas e uma temporada brilhante que está por vir. E a gente tem que mostrar nossa força”, pontua.

“Independentemente de onde a gente está jogando, é inaceitável acontecer o que aconteceu aqui hoje: vir aqui, fazer um bom jogo e infelizmente não conquistar o resultado em virtude da arbitragem é uma situação completamente lamentável”, finaliza o comandante.

O jogo

Melhor na partida, a primeira chance do Fantasma na partida foi logo aos três minutos, quando Fabiano arriscou de longe e o goleiro defendeu. Aos 11, Alex Silva cruzou pela direita e Rafael Oller tentou um voleio que passou pertinho, por cima do gol. Sete minutos depois, Ricardo Bueno cobrou falta da entrada da área e Fábio defendeu. Na sequência, Oller chegou pela esquerda e cruzou direto, mas o goleiro saiu para ficar com a bola. Aos 23 minutos, foi a vez de Marcelo mandar uma bomba de longe e a bola passou do lado direito do gol. O adversário conseguiu abrir o placar aos 31 minutos, com gol de Rafael Sóbis.

No segundo tempo, o Operário respondeu e empatou aos nove minutos, com gol de Ricardo Bueno, que recebeu passe de Jean Carlo e chutou forte de fora da área. Quatro minutos depois, Alex Silva cruzou e Pedro Ken apareceu para cabecear e balançar as redes, mas a arbitragem marcou falta e anulou o gol da virada do alvinegro. O Cruzeiro fez o segundo gol aos 31 minutos, com William Pottker.

O Fantasma continuou criando oportunidades e pressionando o adversário. Aos 36 minutos, Jean ajeitou para Bueno chutar de primeira, mas a bola desviou na defesa. Oito minutos depois, Marcelo cobrou falta, o goleiro espalmou e Alex Silva, na sobra, bateu de longe e a bola foi para fora. Aos 45, Marcelo chutou de longe e obrigou o goleiro a mandar para escanteio. Bueno teve nova chance de fora da área e mandou à direita, pertinho do gol. Aos 47 minutos, a arbitragem deu cartão vermelho Diego Cardoso.

O Operário iniciou o jogo com Martín Rodríguez, Alex Silva, Reniê, Ricardo Silva, Fabiano, Leandro Vilela, Pedro Ken, Marcelo, Jean Carlo, Rafael Oller e Ricardo Bueno. No segundo tempo, entraram Schumacher, Thomaz, Maranhão e Diego Cardoso para saída de Leandro Vilela, Pedro Ken, Rafael Oller e Fabiano.

PUBLICIDADE

Recomendados