PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Brasil vence Paraguai e atletas lançam nota contra Conmebol

Esporte

09 de junho de 2021 07:29

Agência Brasil


Relacionadas

Empate com a Ponte mantém Fantasma no G4

Adriano repassa carreira e dificuldades em sua trajetória

Prazo de inscrições para o PES2021 termina nesta quinta

Operário quer vitória contra a Ponte nesta noite
Copa América registra 140 casos de covid, diz Conmebol
CBF define hoje os confrontos das oitavas da Copa do Brasil
Após 15 meses, Jota Júnior volta para a TV em jogo do Fantasma
Os jogadores da seleção brasileira se manifestaram contra a organização da competição no Brasil Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Os jogadores da seleção brasileira se manifestaram contra a organização da competição no Brasil. Apesar das críticas, os atletas afirmaram que disputarão a Copa América

A seleção brasileira voltou a derrotar o Paraguai fora de casa após 35 anos. Nesta terça-feira (8), os comandados de Tite superaram os anfitriões por 2 a 0 no estádio Defensores del Chaco, na capital paraguaia Assunção, pela oitava rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo do Catar, em 2022.

O Brasil foi a 18 pontos em seis partidas, na ponta das eliminatórias, seis pontos a frente da vice-líder Argentina. Os quatro primeiros colocados vão direto à Copa do Mundo, enquanto o quinto disputará uma repescagem mundial. Os jogos válidos pela quinta e sexta rodadas do classificatório haviam sido adiados (e ainda não remarcados) devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

O próximo compromisso do Brasil será a Copa América. A estreia é domingo (13), às 18h (horário de Brasília), diante da Venezuela, no Mané Garrincha, em Brasília. A seleção de Tite está no Grupo B da competição, ao lado de Colômbia, Equador e Peru.


Em nota, jogadores da seleção criticam Copa América

Os jogadores da seleção brasileira se manifestaram contra a organização da Copa América no Brasil. Na madrugada desta quarta-feira (9), o elenco se pronunciou pelas redes sociais, em uma nota conjunta, criticando a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) pela maneira como a entidade se portou após a impossibilidade de sediar o evento na Argentina e na Colômbia, como previsto inicialmente.

Apesar das críticas, os atletas afirmaram que disputarão a competição, que inicia no domingo (13). O Brasil estreia às 18h (horário de Brasília), contra a Venezuela, no Mané Garrincha, em Brasília. Atual campeã, a seleção dirigida por Tite está no Grupo B, ao lado também de Colômbia, Equador e Peru. A convocação para o torneio será anunciada ainda nesta quarta.

No manifesto, os jogadores declararam que não quiseram tornar a discussão sobre a Copa América "política" e que estão insatisfeitos "por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional" com a condução da competição, "fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil". Eles concluem a nota dizendo que possuem "uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo" e "nunca diremos não à seleção brasileira".

A expectativa pelo posicionamento dos jogadores era grande desde o anúncio como sede da Copa América. As tradicionais entrevistas coletivas dos atletas nos dias que antecedem as partidas foram canceladas e somente Tite atendeu à imprensa. Sempre que questionado, o técnico se esquivou de responder sobre o assunto.

 

| Foto: Divulgação
 


PUBLICIDADE

Recomendados