PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Athletico celebrará bicampeonato hoje em frente à Arena

Esporte

21 de novembro de 2021 07:00

Das assessorias/Banda B


Relacionadas

Renato Gaúcho é demitido do comando do Flamengo

Fantasma bate o CRB e termina a Série B em 12º lugar

OFEC começa partida com 2 gols em cima do CRB

Operário se despede da temporada enfrentando o CRB
Palmeiras vence na prorrogação e é tri da Libertadores
Palmeiras e Flamengo decidem a Libertadores neste sábado
Ciclismo de PG pode se destacar em JOJUP's e JAP's
PUBLICIDADE

Clube paranaense foi bicampeão da Conmebol Sul-Americana neste sábado após superar o Red Bull Bragantino por 1x0. Título será comemorado na tarde deste domingo

O domingo (21) será dia de comemorar o bicampeonato da Conmebol Sul-Americana aos torcedores e integrantes do Athletico Paranaense. Após conquistar a vitória na final contra o Red Bull Bragantino no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai, por 1X0, neste sábado, a delegação rubro-negra retorna ao Brasil e chegará na Arena por volta das 15h30. A festa, com trio elétrico, será somente em frente ao estádio.

A conquista, na tarde de ontem, veio carimbada com um golaço de Nikão, que vive seus últimos momentos com a camisa rubro-negra. De quebra, o time athleticano garantiu a conquista da vaga para a Libertadores da América do ano que vem.

Para as comemorações deste domingo, o Athletico Paranaense pede para que os torcedores não compareçam ao Aeroporto Afonso Pena e se dirijam diretamente à Arena. A delegação sairá do avião e ainda na pista embarcará no ônibus que levará o time ao estádio. Não haverá trajeto de trio elétrico até o estádio.


O jogo 

Mesmo com a presença maior do torcedor rubro-negro, foi o Bragantino que iniciou melhor a partida. Aos 3 minutos, Artur pegou o rebote após o escanteio, mas chutou por cima. A equipe paulista, com mais posse de bola e marcando o Furacão sob pressão, era melhor em campo e sufocava o Athletico no seu campo.

O time do técnico Alberto Valentim conseguiu equilibrar a partida somente depois dos 15 minutos. A primeira chance veio somente aos 17 minutos, mas o chute de Terans saiu fraco. Na melhor oportunidade do massa bruta, dois minutos depois, Cuello quase marcou gol olímpico. No rebote, o meia argentino arriscou da entrada da área e quase acertou o ângulo de Santos.

O Athletico demorou para se soltar, mas passou a jogar mais no campo ofensivo a partir da metade da etapa inicial. Aos 22, Terans arriscou de fora e Cleiton defendeu. O primeiro gol, então, demorou para sair. E veio em grande estilo. Nos seus últimos atos com a camisa do Furacão, Nikão, depois do chute de Terans e do rebote de Cleiton, emendou um belo voleio e fez a festa do torcedor rubro-negro em Montevidéu.

O gol do camisa 11 rubro-negro deu a tranqüilidade necessária para o Athletico dominar as ações do jogo. Apesar de ter sentido o gol sofrido, o Bragantino ainda assustou o Athletico na reta final do primeiro tempo. Aos 39, Helinho cruzou e Ytalo cabeceou no meio do gol. Na sequência, foi a vez de Helinho arriscar de fora e o goleiro Santos garantiu a vitória no primeiro tempo.


Bragantino pressiona, mas Furacão garante o bi da Sula

Apesar da vantagem, o Athletico voltou ofensivo do intervalo e quase ampliou. Aos 5 minutos, depois do cruzamento da direita, Terans ajeitou e Léo Cittadini quase ampliou. Foi, a rigor, a melhor chance do Furacão nos 45 minutos finais da decisão. O time rubro-negro, com a vantagem, se retraiu na defesa e chamou o Bragantino para seu campo.

Assim, o massa bruta até teve mais posse de bola, mas sem a capacidade necessária para furar a defesa do Athletico. O time paulista conseguiu assustar somente aos 20 minutos. Artur recebeu na entrada da área, bateu colocado e a bola passou perto da meta do goleiro Santos.

Depois das entradas de Zé Ivaldo e Christian nas vagas de Nico Hernández e David Terans, o Athletico reforçou seu sistema defensivo. O Bragantino não conseguia ter a criatividade necessária para passar pela defesa do Furacão, nem mesmo com as entradas de Luan Cândido e Alerrandro. Aos 48 minutos, depois do escanteio, Leandrinho cabeceou com perigo e jogou fora a última chance de empate do massa bruta. Melhor para o Rubro-Negro, que garantiu, em solo uruguaio, o bicampeonato da Copa Sul-Americana.


Com informações das assessoria e Banda B

PUBLICIDADE

Recomendados