O que não esquecer depois de fazer Transplante Capilar

Homem-estilo

12 de fevereiro de 2019 14:00

Da Redação


Relacionadas

Saiba como escolher tinta de cabelo para homens

Como combinar boné no look masculino

Barbearia Santiago se destaca por qualidade de atendimento

Homens de PG fazem sucesso com bigodes estilosos 
Implante de barba e tórax para transgêneros
O que não esquecer depois de fazer Transplante Capilar
Barba falhada: ela virou moda!
Foto: Divulgação Pixabay
PUBLICIDADE

Além dos cuidados pós-operatórios,nunca é demais lembrar coisas que ajudam nos resultados

O que fazer depois do transplante capilar? Muitas pessoas se questionam sobre o que pode e não pode. Além dos cuidados pós-operatórios que são comuns e devem ser seguidos por todos os pacientes, nunca é demais lembrar coisas que ajudam nos resultados. Pode pintar o cabelo? Posso fazer mais procedimentos? Se você passou por isso recentemente, confira, 3 coisas que você NÃO pode esquecer!

1. Pintar os cabelos: pode, mas após um tempinho

Cabelos novos, vida nova! É comum que as pessoas se sintam felizes com os fios saudáveis e em desenvolvimento. Para destacar a beleza dos fios e os resultados, uma tintura não parece nada mal, certo? Não mesmo e não tem problema nenhum em pintar os fios. Mas calma lá. Não vá querer sair da clínica direto para o salão, pois como o seu couro cabeludo está se adaptando à nova fase, esperar no mínimo 3 semanas é o ideal para pintar os cabelos. Se você puder esperar um pouquinho mais, é até melhor, considerando que logo após o transplante a queda de fios é comum. Isto porque os folículos novos precisam ser integrados à área transplantada e assim, a circulação e o novo ritmo de crescimento começam a ser equilibrada. Em caso de dúvidas, não deixe de conversar com seu médico.

2. Não fume

Talvez não seja tão difícil esquecer essa recomendação. Afinal, antes mesmo do transplante, o paciente precisa abandonar o cigarro para que tudo ocorra bem. Depois da cirurgia, não é diferente, por isso, não fume. Como seu organismo está se recuperando, as substâncias tóxicas do cigarro podem prejudicar os resultados. Você sabia que a nicotina prejudica a nutrição dos fios? Então isso é apenas um dos riscos. Quem fuma também fica suscetível ao monóxido de carbono que é um outro veneno quando se pensa na passagem do oxigênio para o couro cabeludo. Além do mais, quem fuma tem mais chances de desenvolver calvície. Claro, se você é fumante e não pretende largar o cigarro essa é uma escolha sua. Mas não fumar durante a recuperação é uma coisa para não esquecer.

3. Segundo transplante? É possível, mas atenção!

Com as técnicas FUT e FUE, é comum que os pacientes aprovem os resultados e queiram fazer mais de um procedimento. Em alguns casos, fazer um segundo transplante não é necessário. Mas, quando é o caso, o ideal é esperar 2 anos para avaliar completamente os resultados e aí sim decidir pelo procedimento. Desta forma, o médico consegue avaliar existe densidade suficiente na área doadora. A elasticidade também é um fator determinante. Planejar as cirurgias, considerando os resultados a longo prazo é sem dúvidas uma coisa para não esquecer.

Informações Assessoria de Imprensa




PUBLICIDADE

Recomendados