Bebida é proibida por causar ereções de seis horas

Insana

29 de março de 2019 13:43

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Macaco mata homem de 60 anos e fere outras nove pessoas na Índia

Empresa procura pessoas para testar colchões dormindo

Touro cai sobre telhado de residência

'Coelho da Páscoa' bate em marido que espancava a mulher
Homem processa os pais após descartarem sua coleção pornô
Mulher bate carro após ver uma aranha no banco de passageiros
Homem tem pênis amputado após 48 horas de ereção
Os testes realizados identificaram que a substância trata-se da versão genérica do Viagra Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Os testes realizados identificaram que a substância trata-se da versão genérica do Viagra 

Na Zâmbia, a bebida energética Natural Power High Energy Drink SX, da empresa Revin Zambia Ltd, foi retirada de circulação após pesquisas detectarem que o produto, vendido em supermercados de vários países africanos, continha um medicamento para tratar disfunção erétil.

O energético foi investigado depois de uma queixa de um homem que sofreu uma ereção durante seis horas, em janeiro deste ano. Ele relatou ainda suar muito e sentir os batimentos cardíacos irregulares.

A embalagem da garrafa apresenta uma imagem de um homem flexionando seus músculos e um rótulo que afirma que a bebida pode “aumentar a libido” e atuar como um “afrodisíaco”. No entanto, não trazia informações como a quantidade de sildenafila presente na composição.

Os testes realizados identificaram que a substância trata-se da versão genérica do Viagra. Apenas 250 mililitros da bebida continham entre 68,5 e 71,3 miligramas da droga. É uma dose alta considerando que é recomendado que os homens tomem apenas 50 mg de Viagra até que saibam a sua tolerância.

Na Zâmbia é preciso receita médica para comprar Viagra. Por mais que as autoridades locais tenham recomendado a suspensão do consumo, os efeitos da bebida fizeram com que as vendas do Power Natural aumentassem.

De acordo com a BBC, a procura pelo energético cresceu em Lusaca, capital da Zâmbia, onde ele é vendido em mercados e por vendedores ambulantes.

Segundo o jornal espanhol 20minutos, o fabricante não se pronunciou sobre a apreensão nem sobre o conteúdo da bebida energética.

 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede