Bebida é proibida por causar ereções de seis horas

Insana

29 de março de 2019 13:43

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Viúva para velório após marido morto apertar sua mão

Homem tenta assaltar banco de SC com máscara de idoso

Casal confunde calcinha com 'cobra' e aciona bombeiros

Você compraria comida plantada em shopping?
‘Chifrudo’ é flagrado ‘tentando entrar’ em motel de Cascavel
Cristiano Ronaldo deixa R$87 mil de gorjeta em resort
PM prende 'Branca de Neve' e 'Fada do Dente' por embriaguez ao volante
Os testes realizados identificaram que a substância trata-se da versão genérica do Viagra Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Os testes realizados identificaram que a substância trata-se da versão genérica do Viagra 

Na Zâmbia, a bebida energética Natural Power High Energy Drink SX, da empresa Revin Zambia Ltd, foi retirada de circulação após pesquisas detectarem que o produto, vendido em supermercados de vários países africanos, continha um medicamento para tratar disfunção erétil.

O energético foi investigado depois de uma queixa de um homem que sofreu uma ereção durante seis horas, em janeiro deste ano. Ele relatou ainda suar muito e sentir os batimentos cardíacos irregulares.

A embalagem da garrafa apresenta uma imagem de um homem flexionando seus músculos e um rótulo que afirma que a bebida pode “aumentar a libido” e atuar como um “afrodisíaco”. No entanto, não trazia informações como a quantidade de sildenafila presente na composição.

Os testes realizados identificaram que a substância trata-se da versão genérica do Viagra. Apenas 250 mililitros da bebida continham entre 68,5 e 71,3 miligramas da droga. É uma dose alta considerando que é recomendado que os homens tomem apenas 50 mg de Viagra até que saibam a sua tolerância.

Na Zâmbia é preciso receita médica para comprar Viagra. Por mais que as autoridades locais tenham recomendado a suspensão do consumo, os efeitos da bebida fizeram com que as vendas do Power Natural aumentassem.

De acordo com a BBC, a procura pelo energético cresceu em Lusaca, capital da Zâmbia, onde ele é vendido em mercados e por vendedores ambulantes.

Segundo o jornal espanhol 20minutos, o fabricante não se pronunciou sobre a apreensão nem sobre o conteúdo da bebida energética.

 

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede