PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Pinscher de traficante mostra droga enterrada por dono

Insana

21 de maio de 2021 09:13

Da Redação


Relacionadas

Galo é apreendido após perturbação do sossego no PR

Casal é flagrado fazendo sexo à luz do dia em praia de SC

Pinscher de traficante mostra droga enterrada por dono

Fundador do China In Box acorda após 2 anos em coma
Médicos alertam que 'banho de esterco não cura covid-19'
Motociclista fica ferido ao ter garganta perfurada por pássaro
Padre anuncia em missa que está apaixonado e deixa a Igreja
PUBLICIDADE

Durante busca na casa de um dos alvos da ação, o cachorro, que morava na casa com o traficante, começou a cavar uma parte do quintal onde o tutor escondia a droga

Um cachorro da raça pinscher, que pertencia a um traficante alvo da Operação “Hot Money”, apontou aos policiais o local onde o tutor escondia droga. A operação foi deflagrada pela Polícia Federal, nesta quinta-feira (20), contra uma organização criminosa responsável por tráfico de drogas interestadual na região conhecida como Vale do Araguaia.

Durante uma busca na casa de um dos alvos da ação, o cachorro, que morava na casa com o traficante, começou a cavar uma parte do quintal. O animal foi acompanhado pelos policiais que, em seguida, ajudaram a cavar o local e encontraram tabletes de drogas escondido.

Três pessoas foram presas em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, bem como uma grande quantidade de valores em espécie foi apreendida em diversos locais de cumprimento de busca e apreensão. Após a prisão do traficante, o cão ficou sob os cuidados dos agentes que trabalharam na operação.

Os policiais também cumpriram 28 mandados judiciais expedidos pela Vara Criminal de Aragarças (GO) nas cidades mato-grossenses de Barra do Garças, Cuiabá, Querência, Porto Esperidião e Pontes e Lacerda, também nas cidades de Aragarças e Jussara em Goiás. Entre os mandados expedidos, 7 são de prisão preventiva e 21 de busca e apreensão.

‘Hot Money’ - deve-se ao fato de que todos os investigados têm no tráfico de drogas o seu modo de vida. Nesse sentido, “esquentam o dinheiro” através do exercício da mercancia de drogas ilícitas. Consequentemente, esse “dinheiro quente” em espécie é a única “fonte de renda” da maioria dos investigados.

Informações do G1 MT

PUBLICIDADE

Recomendados