A moda e as mudanças ao longo dos anos

Mix

30 de maio de 2020 05:00

Da Redação


Relacionadas

Moda: Inverno 2020 traz estilo Retrô

Espetáculo educacional resgata cultura circense

‘Fios de Baiano’ fazem show online em bar de PG

aRede e Dom Pizzas Pré-Assadas lançam promoção
Alorino anuncia live show beneficente de humor
Cultura promove seminário online sobre Lei Aldir Blanc
Crônicas dos Campos Gerais: Juliano Lima Schualtz
PUBLICIDADE

A moda e as mudanças ao longo dos anos

Ao encaixar as peças da História é deixar de sermos receptores passivos das memórias que nos são transmitidas, e desenvolver a capacidade de visar o que está por vir e compreender melhor uma sociedade e suas mudanças. É ter a capacidade crítica sobre os indivíduos e o mundo. É ter um novo olhar sobre um velho mundo e o que está por vir.

Em relação de tudo o que foi abordado até agora onde fiz uma rápida análises desta evolução e hoje finalizo com a os anos 1930 pois com a reabertura dos shoppings volto a passar sobre o mercado e as novas formas de compras e muito mais tendo como base, opiniões de diversos especialistas deste mercado e suas ligações com a moda e a tendência.

Dentro desse contexto, que pretendo dar continuidade em outras edições afirmo que “a moda desde sempre fez e faz a diferença, é uma ponta do iceberg de um sistema complexo de valores e significados”.

Expandindo a temática de hoje, observamos que a moda é uma prática existente em todos os períodos históricos.

Os anos de 1920 foi marcada pelo fim da ditadura dos espartilhos. Com vestidos mais curtos e de cintura baixa, que disfarçavam as curvas do corpo, as mulheres começam a se libertar. É o começo da era feminista.

A crise de 1929,” finalizou uma década de “anos loucos”. Onde milionários perderam tudo, milhões de pessoas desempregadas, empresas e bancos tiveram que fechar as portas. A moda é afetada pela  crise e  de falta de materiais no mercado.

Trouxe a austeridade e feminilidade deixa-se pra trás o papel feminino na sociedade retrocede.  Muitas pessoas perderam seus empregos, e poucas mulheres permaneceram em seu trabalho, a maioria voltou para as atividades domesticas.

 O vestuário a linha de cintura que quase chegava no quadril cintura volta a ser recolocada no seu local de origem. Os tecidos desprezados como: algodão e a casimira tornaram-se materiais importantes para uma época de muita economia. As saias e os cabelos voltaram a crescer a mulher deixou de adotar o formato unissex para traduzir uma modelagem mais refinada estas recorrem a: sutiãs, cintas ou espartilhos flexíveis.  Os vestidos eram retos e mais justos na companhia de boleros. Os decotes profundos evidenciavam as costas em enviesados nos vestidos de festa que marcam a década de 1930.

O cinema efetivamente correspondia aos interesses da indústria cosmética com isso

“Os filme oferecem lições “práticas” de moda, maquiagem e comportamento. O êxito do cinema se consolidou com a junção capaz de incluir o desejo de muitas mulheres. As saias e os cabelos voltaram a crescer. Os seios readquiriram formas definidas, mas com um toque natural, fazendo com que as mulheres recorressem a sutiãs, cintas ou espartilhos flexíveis. Por conta da crise, o algodão e a casimira tornaram-se materiais importantes para uma época de muita economia. Os vestidos eram mais justos na companhia de boleros capinhas, luvas e boinas. Os decotes profundos e os cortes enviesados em roupas de festas também marcaram a década de 30. surge os primeiros produtos em série assinados por : Elsa Schiaparelli Coco Chanel, Madame Grés.

A pele bronzeada, óculos escuros, corpo magro e esportista. Andar de bicicleta era uma das atividades favoritas de uma sociedade que deixava de fazer os cruzeiros e volta sua atenção para atividades ao ar livre valoriza a natureza e ao bem-estar.

O fato que pouco se fala mais o cinema efetivamente correspondeu aos interesses da economia mundial com a indústria cosmética que salta com os filmes   que oferecem lições de moda, maquiagem e comportamento das grandes atrizes. 

PUBLICIDADE

Recomendados