O “Novo Normal” é tema da série com artistas de PG

Mix

25 de julho de 2020 07:00

Da Redação


Relacionadas

Artista de PG conquista novo prêmio internacional

Concerto online reúne artistas locais e internacionais

Tendência moda Verão 2021 aposta em conforto e modelagem

Crepúsculo em PG rende foto sensacional de igreja
Apla divulga resultado de concurso cultural
Escritora ponta-grossense lança livro de romance
PG Memória 2020 começa nesta quinta-feira
PUBLICIDADE

Com lançamento na sexta (24), a série conta com a participação de 08 músicos e 08 atores do Paraná

Estamos vivendo uma situação atípica. Por causa da pandemia, comércios, restaurantes e espaços públicos ficaram reservados a horários restritos e uma série de precauções para mitigar o impacto da Covid-19.

Diante disto, surgiu o conceito de “novo normal”, que vem sido bastante discutido nos meios de comunicação. “Os padrões de comportamento são construídos a partir de uma necessidade social específica, o que vem sendo reajustada e forçosamente adaptada para garantir a sobrevivência e proteção das pessoas”, diz Zek Ramos, diretor da Diálogos Culturais. “Estes ajustes, como o isolamento social, transformam o nosso jeito de consumir e ocupar os espaços, além de nos colocar num lugar de reflexão sobre como queremos seguir a partir de agora”, completa.

Quando consideramos o conceito de “novo normal”, reconhecemos que o padrão estabelecido precisou ser modificado. E, neste caso, não houve uma preparação. Fomos pegos de surpresa. Isto afetou a economia, a educação, mas sobretudo a saúde. “No caso da Cultura, por exemplo, muitos profissionais que dependem exclusivamente das apresentações em público para sobreviver, tem buscado na criatividade várias maneiras para se manter ativo no ofício e conseguir o mínimo para se manter”, acrescenta Ramos.

Pensando nisto, a Diálogos Culturais – que é reconhecida e finalista de premiações como a ODS 2018 por dar protagonismo aos artistas de Ponta Grossa e discutir questões sociais; desenvolveu a série “Metamorfose”.  João Pedro Teixeira, produtor do projeto, explica que as transformações do cotidiano são o principal tema, partindo da premissa do livro de Franz Kafka. “Pensamos todos os processos de mudanças que nós sofremos ao longo da vida e também nesses tempos de isolamento decorrentes da Covid-19. É preciso entender que estamos em constante movimento e nunca somos os mesmos que fomos ontem”, afirma o produtor.

Com lançamento na sexta (24), a série conta com a participação de 08 músicos e 08 atores do Paraná. “Oito músicos paranaenses foram entrevistados a respeito de oito temas chaves. Essas entrevistas geraram inspirações para outros oito vídeos poéticos, com atores convidados para dar voz ao texto”, explica João Pedro Teixeira. “Uma coisa surge, para que outra se transforme, e assim transformando outras coisas, um ciclo de metamorfoses. Além disso, cada entrevistado foi convocado a emprestar sua voz a uma música tema”, continua.

Os músicos são os protagonistas da série e entre eles há uma diversidade de estilos. Silvia Fernandes é arte-terapeuta e professora de música, e abordará as mudanças de cidade desde a formação até agora. “Quem nós somos é algo que vai sendo construído dia-a-dia. Olhar para o novo é saber que as coisas acontecem de uma hora pra outra”, afirma a professora.

O empresário Leonardo Romanov, que promove festas com o Gataria, se lança como cantor e tem criado vários acessórios para manter a marca. “A Gataria tentou se reinventar trazendo coisas úteis para a quarentena e proteção trazendo uma linha de produtos pra mostrar que estamos presentes, mesmo não tendo mais as festas”, diz Leandro. A vocal coach Julcy Rodrigues começou a carreira musical sendo cantora de heavy-metal e passou a ser solista de concertos líricos e agora tem ministrado aulas de canto on-line.

A série traz também o sambista e professor Sérgio Falcão, que fala sobre as mudanças de sentimentos, bastante poetizadas nas canções do gênero. A cantora Ana Carolina, de 14 anos, que faz sucesso com os vídeos nas redes sociais e aponta como o isolamento alterou as relações em grupo entre os adolescentes. A multi-artista Mayã Campos, que reflete sobre identidade, feminismo e Arte, e o Gabriel Lima Pereira, formado em violão clássico e que dá aulas de robótica.

Seguindo os esforços conjuntos de toda a comunidade, toda série foi executada à distância. As fotos de divulgação foram feitas por vídeo-chamada pela fotógrafa Pollyana Casoti (instagram @pollycasoti.photo), e as entrevistas feitas por sistema ZOOM. Os cantores e atores gravaram suas participações em suas próprias casas e o resultado será lançado semanalmente, um artista por semana. O projeto inicia com a apresentação da drag queen Lilo, persona de Willian Cabral, cantando “Metamorfose Ambulante”, imortalizada por Raul Seixas.

Para acompanhar, basta seguir a @dialogosculturais no Instagram.

PUBLICIDADE

Recomendados