Cultura de PG deve receber R$ 2,2 milhões do Governo Federal

Mix

30 de julho de 2020 14:43

Afonso Verner


Relacionadas

Lago de Olarias ganha árvore de Natal gigante

‘Literatura para a UEPG’ recebe inscrições para aulas sobre obras do PSS

Moda: Versatilidade resgata acessórios de diversos estilos para este verão

Scilas Oliveira lança novo trabalho musical
Museu Holandês de Arapoti terá recursos da Lei Rouanet
Live às 19h abre exposição do MON em Ponta Grossa
Crônicas dos Campos Gerais: “A Bomboniere Aurora”
Foto: Arquivo aRede
PUBLICIDADE

A própria Prefeitura já destinou R$ 130 mil para o setor no começo da pandemia. Valor que deve ser enviado pelo Governo Federal supera os R$ 2 milhões

Eventos proibidos, teatros fechados, shows cancelados. O isolamento social necessário para o controle da disseminação do coronavírus afetou em cheio o setor cultural que precisou se adaptar. Diante deste cenário, uma das maiores preocupações da Fundação Municipal de Cultura é com a situação de artistas e empreendedores culturais do município que tinham na arte sua fonte de renda. 

Pensando nisso logo no início da pandemia foi lançado o edital Em Casa com Cultura, que previa um prêmio em dinheiro para que artistas conteúdo digital. Ao todo  110 projetos foram aprovados e mais de 235 artistas beneficiados com uma verba total de R$ 133.800,00. O edital foi um trabalho da FMC em parceria com o Conselho Municipal de Política Cultural.

Com o fim dos pagamentos do edital, logo foi aprovada a nível nacional a lei Aldir Blanc de auxílio à cultura, que prevê um repasse mensal de R$ 600 para artistas, técnicos e trabalhadores do setor (por três meses) e de R$ 3 mil a R$ 10 mil para empresas do setor cultural, entidades e coletivos ligados à cultura. Em Ponta Grossa o primeiro passo para o repasse do benefício já foi dado: o pré-cadastro dos artistas, técnicos, empresas e entidades. Mais de 430 agentes culturais já estão cadastrados. Para cadastrar-se basta buscar os formulários na página da FMC no site da Prefeitura.

Aguarda -se apenas os trâmites burocráticos para que o governo federal libere a verba aos municípios. Para PG a previsão é que o valor ultrapasse os R$ 2,2 milhões.  A expectativa é que a verba esteja disponível ainda no mês de agosto para aqueles que tiverem o pedido aprovado. 

Para a aprovação, além de estar cadastrado junto ao município, o artista ou empresário deve comprovar atuação no setor cultural nos últimos dois anos, cumprir critérios de renda familiar máxima, não ter vínculo formal de emprego e não receber o auxílio emergencial federal. 

A ajuda fica vetada a quem recebe benefícios da previdência ou assistenciais, seguro-desemprego ou valores de programas de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família. O recebimento está restrito a dois membros de uma mesma família. Mães solteiras recebem o dobro.

Empresas que podem participar

Entre as empresas podem participar: livrarias, editoras e sebos; estúdios de fotografias; escolas de música, dança, teatro, capoeira e artes; centros culturais e CTGs; ateliês de artesanato, moda, design e artes; feiras de artesanato; produtoras de cinema e audiovisual; espaços de apresentações musicais; comunidades quilombolas; bibliotecas comunitárias; entre outros espaços culturais.

Pagamento

O Diretor do Departamento de Cultura na Fundação Municipal, Eduardo Godoy, destacou que os recursos do Governo Federal serão distribuídos em três frentes. A primeira etapa diz respeito ao pagamento de R$ 600 por três meses para trabalhadores da classe artística. A segunda etapa diz respeito a um subsídio mensal para empresas culturais, como livrarias e teatros, que vai variar de R$ 3 mil a R$ 10 mil. A terceira etapa diz respeito ao investimento em prêmios e editais para fomentar a cultura, mesmo em momento de crise. 

Com informações da assessoria. 

PUBLICIDADE

Recomendados