Artista Fernanda Pavão comenta sobre Arte Contemporânea

Mix

04 de agosto de 2020 02:00

Da Redação


Relacionadas

Crônica: “Quando morremos, morrem as coisas?”

Professores se inspiram em Van Gogh para ensinar conteúdos

Museu de Arte da UFPR lança web série

Stanley faz lançamento de novo trabalho
Sesc PR celebra o início da primavera em live neste sábado
The Rock arranca portão de casa para não perder gravação
Cine Teatro Ópera celebra 70 anos em Ponta Grossa
A artista Fernanda Pavão participa da live sobre “Arte Contemporânea”, nesta terça-feira (04), às 20 horas. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Evento é organizado pelo Coletivo Grimpa da UEPG

A artista Fernanda Pavão participa da live sobre “Arte Contemporânea”, nesta terça-feira (04), às 20 horas. O bate-papo será mediado pela professora Cristina Mendes, participante do Coletivo Grimpa e docente do curso Licenciatura em Artes Visuais do Departamento de Artes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

A produção artística de Fernanda Pavão se insere na Arte Contemporânea e contribui para a compreensão do fazer artístico em linguagens híbridas, nos processos de criação em performance, em desenho e em atividades artísticas ligadas ao corpo. A live é aberta ao público e acontece pela rede social Instagram (@grupo_grimpa), dando continuidade a uma série de conversas sobre Arte neste período de combate à pandemia da Covid-19. As lives do Grupo Grimpa acontecem toda primeira terça-feira do mês, às 20 horas.

Sobre a artista

Segundo o Coordenador do Grupo Grimpa, professor Renato Torres, o convite ocorreu pela contribuição da obra da artista no campo da Arte Contemporânea. Fernanda Pavão vive e trabalha em Curitiba, Paraná e é formada em Arte e Tecnologia pela Parsons the New School of Design (Nova Iorque, 2011), em Artes Visuais pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP/PR, em Curitiba, 2007) e pela Escola Panamericana de Arte e Design (São Paulo, 2005). “Seu trabalho consiste em desenho e pintura, vídeos desenvolvidos como ações performativas, passando pela idéia de happening e action painting. Sua pesquisa tem como base questões relacionadas à cor, ao movimento e à espiritualidade nos desenvolvimentos da criação artística”, explica Torres.

Fernanda Pavão participou da residência artística “Location One” em Nova Iorque, em 2011, período no qual trabalhou no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA) como assistente curatorial de Performance e Arte Moderna (2009 – 2011). Entre 2012 e 2015 realizou uma série de ritos artísticos (performances) intitulados Amagoa em que desenvolveu um trabalho sobre a cor, o corpo e o movimento. Em 2018 integrou o grupo de dança contemporânea A Milionésima, composto só por mulheres e criou sua oficina de Desenho e Movimento.


PUBLICIDADE

Recomendados