Crônica da Semana é de Antonio Marques de Castro

Mix

12 de agosto de 2020 10:40

Da Redação


Relacionadas

Apla divulga resultado de concurso cultural

Escritora ponta-grossense lança livro de romance

PG Memória 2020 começa nesta quinta-feira

Nossa Casa Viva traz receita típica dos Campos Gerais
Professora de Direito da UEPG lança duas obras de mestrado
Crônica: “Quando morremos, morrem as coisas?”
Professores se inspiram em Van Gogh para ensinar conteúdos
Antonio Marques de Castro é Agente Administrativo da Prefeitura de Telêmaco Borba. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

'Viajando pelos Campos Gerais – querida cidadezinha de Tibagi' 

Tibagi é possivelmente o passeio preferido do telemacoborbense. Ainda que estes “monte-alegrenses” tenham sido inseridos um tanto ou quanto “forçosamente” na afamada Rota dos Tropeiros, pois da mesma não foram pioneiros.

Mas quem não curte apreciar belezas naturais a nos prestigiar com suas maravilhas em seus próprios “desfiladeiros”? E para tal, sigamos a rota dos tropeiros...

Para você que é “de cá”, um povo hospitaleiro “aguarda-te-lá”!

Dá um “salto” e puxa seus nervos, ali a campina é alta e santa é a rosa. Paredões e fendas, parques, rios, riachos, cachoeiras e algumas lendas. E muita prosa.

Café colonial, churrasco de carneiro; café em “Cristal”, almoço à la “Tropeiro”!

Tibagi sempre à sua “mercê”! Desde a praça central, centro cívico e ladeira afora; nunca rompera seus “paredões”. De machadinho à motosserra, desta à esteira. Desbravaram estas terras algumas gentes estrangeiras. Fizeram delas grandes produtoras de grãos. Entre lendas e mitos, folclores e ritos, carnavais e outras festas mais... Preservou-se o jeito e a simpatia dessa gente hospitaleira. Tibagi, sempre recebendo a todos com bastante amor, tornou-se referência na organização do melhor Carnaval do interior – do interior do Paraná.

Suas belezas naturais e a simpatia de seus agentes de turismo, a fizeram também destacar-se no cachoeirismo – entre tantas outras belezas, como a do Guartelá.

Aguarda-te-lá enquanto eu fico cá, passeando e sempre por Tibagi passando; indo e voltando para lá e para cá. Sigo a minha rota da qual Tibagi faz parte. A eternizando nesta minha arte, a levarei comigo em prosa e verso por toda parte.

Texto escrito no âmbito do projeto Crônicas dos Campos Gerais da Academia de Letras dos Campos Gerais.

PUBLICIDADE

Recomendados