Stanley faz lançamento de novo trabalho

Mix

22 de setembro de 2020 15:40

Da Redação


Relacionadas

CCR promove ‘viagem virtual’ do Teatro a Bordo em PG

Programa Destaque comemora oito anos na TV Guará

Foca Foto lança livro Ensaios e fotorreportagens em live

48º Fenata captará recursos pelo Paraná Cultural
Artista ganha pela 3ª vez concurso internacional
Estudante de Ponta Grossa escreve seu 2° livro
Maior evento de liderança do Brasil começa nesta terça-feira
O rapper Stanley lança a Mixtape Expec, seu primeiro trabalho solo com participações de diferentes artistas da cidade Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Mixtape Expec, seu primeiro trabalho solo com participações de diferentes artistas da cidade

Na próximo sábado (26/09), o rapper Stanley lança a Mixtape Expec, seu primeiro trabalho solo com participações de diferentes artistas da cidade. A produção feita em época de pandemia, reflete este período de isolamento do artista que faz parte do grupo de risco e assim como todos, teve projetos interrompidos devido ao covid-19. A mixtape leva o nome de um xarope expectorante e de certa forma foi o remédio que o rapper precisava.

“Eu fui medir minha pressão na farmácia e vi o remédio, lembrei que eu tomava, porque tenho problema no pulmão decorrente de um problema no coração. Quando me vi de máscara medindo a pressão no meio de uma pandemia pulmonar, onde todos esperam a cura, pensei que encontrei a minha.” Logo mandou a ideia para Vitória Nogueira que fez a arte e ficou responsável por toda a identidade visual. O isolamento interrompeu seu trabalho com o ep Rugas que já estava na fase final, mas resultou em uma mixtape que certamente ficará marcada na carreira do rapper.

Presente no rap desde 2002, Stanley conta que a mixtape surgiu como uma necessidade de deixar o momento um pouco mais suportável, apesar do assunto sobre a pandemia ser inevitável as letras são diversas, criativas e atemporais, passando por diferentes sentimentos e vivências do rapper. Diagnosticado desde criança com uma doença no coração, pra quem nasceu morto Stanley segue bem vivão, superou as expectativas dos médicos e encontrou no rap o conforto de poder ser quem ele é.

“O rap foi o pai e mãe muitas vezes, foi a lanterna no túnel escuro das incertezas. Foi o hip-hop que me tratou com respeito que muitas vezes eu só tinha em casa, não tinha na escola não tinha na rua, mas quando eu conheci o rap eu fui tratado de igual pra igual… Foram os únicos fora minha família que me chamavam pelo nome e não de macaco, et ou monstro, saca. Era a música que falava da dor que eu sentia, me fez ter voz e fez eu entender que eu precisava ser visto para mudar algo ou mudar a mim mesmo.”

Sem limitações e encaminhando diferentes projetos, é a partir dessas vivências que o rapper encontra inspirações para seguir movimentando a cena da cidade. A mixtape é composta por 4 faixas, com participações de vários artistas de Ponta Grossa como: Dj Banga, Manuel, MJeff, Zig e Terra.  Com mix e master de THC, a produção ficou por conta de Haiku Beats que assinou os beats de todas as tracks.

A mixtape faz parte de mais um lançamento pelo selo Piá de Vila. Produtor do selo, Stanley conta que a Piá de Vila elevou o nível das produções e profissionalizou um trabalho que sempre foi feito de forma independente. Para ele o rap precisa seguir se adaptando e ocupando espaço, se mantendo aberto para novas e diferentes formas de expressão.

“Precisamos ser vistos falar e ser ouvido, não se amedrontar. O rap é uma ferramenta de comunicação além do alcance, perceber que não estamos sozinhos muda todo o sentido da história.” E é com este espírito de coletividade e resistência que a mixtape tomou forma e chega nas plataformas digitais.

PUBLICIDADE

Recomendados