Fenata inicia sua 48º edição de forma remota

Mix

03 de dezembro de 2020 19:40

Da Redação


Relacionadas

Crônicas dos Campos Gerais: ‘Criança diz cada uma’

Meyrielen Mendes é eleita Miss Ponta Grossa 2021

2021 será marcado pelo novo ciclo da moda

Coluna 'Na Trilha da Fé: Pastoral da Criança: a cara da Igreja
Espaço Cultural Pôr do Sol promove live neste sábado
Crônicas dos Campos Gerais: ‘Simples e bom’
Coletivo musical Fora da Caixa lança videoclipe ‘Arizona’
PUBLICIDADE

O cerimonial cumpriu todos os protocolos de biossegurança em prevenção à pandemia da Covid-19

Em formato adaptado à pandemia, a 48° edição do Festival Nacional de Teatro (Fenata) iniciou na noite da última quarta-feira (02), com a premiação dos vencedores do prêmio de dramaturgia e uma discussão entre os curadores do Fenata. O evento foi transmitido ao vivo do Cine-Teatro Pax pelo Facebook da UEPG, numa parceria entre a Coordenadoria de Comunicação da UEPG e Núcleo de Tecnologia da Informação. O cerimonial cumpriu todos os protocolos de biossegurança em prevenção à pandemia da Covid-19.

Os dramatúrgicos e os textos premiados da noite de ontem na categoria nacional foram Wilson Coelho,de Vila Velha (ES), com Dram Act Urge; Tairone Vale, de Juíz de Fora (MG), com Big Bang; Andrea Cevidanes e Ana Beatriz Guerra, do Rio de Janeiro (RJ), com Fechado para Almoço. Na categoria Paraná, os vencedores foram Alan Norões, com “Os senhores repararam que a viscondessa de Mataburros é uma porca?” e Thiago Dominoni, com Respire Fundo, ambos de Curitiba (PR); Na categoria Campos Gerais, os vencedores fora autores locais, Igor Luige dos Santos Andretti, com Carta de parir trovões; Bya Paixão, com 13 Charges para Roma.

O evento contou com a presença do reitor Miguel Sanches Neto, o presidente da Fauepg Sinvaldo Baglie, da pró-reitora de extensão Édina Schmanski e da diretora de assuntos culturais Sandra Borsoi. A participação presencial no Pax foi limitada a autoridades, equipes de organização e técnica (ao todo, 16 pessoas). Medidas como distanciamento, higienização com álcool e o uso de máscara foram tomadas para garantir a biossegurança de todos os presentes. As autoridades puderam retirar suas máscaras somente no momento de discurso. O evento contou com um intérprete de Libras.

Para o reitor Miguel Sanches Neto, participar do evento foi um misto de alegria e tristeza. “Queríamos estar em uma abertura do Fenata com muita gente, pessoas sentadas no corredor, como tradicionalmente acontece, mas a pandemia nos impõe esse vazio”, lamenta Sanches Neto, que também comemora a oportunidade de continuar a missão da UEPG em fomentar o teatro. “A alegria de estarmos aqui fazendo teatro e valorizando a arte na sua versão literária, continuando a missão da instituição de garantir segurança para todos”, completa.

“O ano de 2020 foi uma provação para toda a sociedade, em especial, para o setor cultural”, afirma o presidente da Fauepg Sinvaldo Baglie. “Nesse contexto, os esforços da UEPG e da Fauepg para a realização do 48º Fenata são indicativos de quanto a arte nos representa. A pandemia nos tirou o palco, mas não a perseverança”, reforça Baglie.

A pró-reitora de extensão Édina Schmanski ressaltou a realização do Festival em meio a pandemia. “O novo formato desse ano foi uma necessidade, considerando todas as restrições que temos vivido”, pontua. “Ao trazer a ideia de trabalhar com textos de dramaturgia e sua composição, a UEPG não só valoriza o teatro e o espetáculo, mas também, a expressão literária que compõem a dramaturgia enquanto poética”, adiciona Schmanski.

Conforme Sandra Borsoi, coordenadora do Festival, a organização de forma segura e a captação de recursos foi um desafio. “Não havia outra saída se não se reinventar a partir da valorização dos fundamentos do teatro, como uma maneira de fazer teatro e marcar posição sobre o que há de melhor na dramaturgia brasileira”, conta Borsoi, ao ressaltar o concurso de textos dramatúrgicos que marcou o novo formato do Fenata.

O Fenata é o festival de teatro ininterrupto mais antigo do Brasil e, em sua 48º edição, trouxe a proposição “A cena dramatúrgica brasileira”. Organizado pela Divisão de Assuntos Culturais da Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Culturais (PROEX) e pela Fundação de Apoio à UEPG (FAUEPG), o Festival é apresentado pelo Ministério do Turismo através da Lei de Incentivo à Cultura – Pronac, e conta com apoio das Lojas MM e patrocínio da GMAD e Sanepar, através do Programa Paraná Cultural.

O 48º Fenata continua hoje (03), às 19h, com o monólogo de humor “O cotidiano na pandemia” sob a ótica da personagem Craudete, interpretada pela atriz Juliana Fatichi. A transmissão acontece no Facebook UEPG.

PUBLICIDADE

Recomendados