PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Ponta-grossense faz sucesso no mundo com a música sacra

Mix

05 de fevereiro de 2021 10:03

Da Redação


Relacionadas

Em vídeo, DJ Ivis pede perdão a Pamella e a todas mulheres

Moda: As estampas que reconquistaram a realeza

A santa que foi substituída

Confira a Coluna Ponta Lagoa dessa semana (19/07)
Nelson Miolaro, o Vovô TikToker, morre aos 91 anos
Cultura abre inscrições para concurso de duplas sertanejas
Lojas MM ‘contrata’ galo que ficou famoso em todo Brasil
Fernando Gabriel Swiech se mudou, em 2001, para a Alemanha Foto: Arquivo pessoal
PUBLICIDADE

Atualmente morando na Alemanha, o artista está terminando um doutorado em Musicologia na Escola Superior de Música e Teatro de Hamburgo

Com o sonho de estudar música no exterior, o ponta-grossense Fernando Gabriel Swiech se mudou, em 2001, para a Alemanha. Desde então, o músico vem se destacando no cenário internacional. O ex-aluno de piano do Conservatório Maestro Paulino conversou nesta manhã de quinta-feira, 4 de fevereiro, com o Portal aRede e contou como tem sido a sua trajetória no setor musical.

Clique aqui e acompanhe a live com Fernando Gabriel

Atualmente morando na cidade de Hamburgo e trabalhando com música sacra (executada nas cerimônias de toda e qualquer religião), Fernando, desde criança, tinha o sonho de aprender música fora do Brasil. E por um acaso do destino, segundo o músico, começou a estudar no Conservatório. “Minha mãe trabalhava com uma colega que estudava na Escola e ela incentivou minha mãe a me matricular. É uma possibilidade aberta a toda a comunidade. Realmente é algo legal de Ponta Grossa”, comenta o ponta-grossense.

Ida para o exterior

O sonho começou a se tornar realidade quando o músico decidiu concluir um bacharelado em Órgão, na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, na cidade de Curitiba (PR). Após o aprendizado, Fernando conseguiu uma bolsa de estudo e a sua passagem para a Alemanha estava carimbada. Com o intuito de ficar dois anos na Europa, o músico já está há 20 anos fazendo sucesso no setor.

No atual momento terminando um doutorado em Musicologia na Escola Superior de Música e Teatro de Hamburgo, o músico explica como tem sido a sua trajetória na Alemanha. “Dou algumas aulas, mas o que gosto muito é de tocar para o público. Aqui, isso tem um campo muito grande. No meu caso, que toco em uma igreja, elas se dão ao luxo de ter um músico com curso superior que rege um coro e uma orquestra”, explica Fernando.

Questionado sobre o incentivo do Estado no setor musical, o ponta-grossense enfatiza a importância que o país dá para essa área. “Um lugar que incentiva a cultura. Se investe muito dinheiro. Como fator social, melhoria de vida das pessoas, porque elas consomem muito e faz parte do dia a dia. É algo que movimenta muito a Economia alemã e nem se compara com o Brasil”, observa.

Setor musical na pandemia

Com a covid-19, algumas mudanças aconteceram como o distanciamento social para evitar a propagação do novo coronavírus. A medida acaba afetando diretamente o setor musical. Porém, mesmo com a diminuição de renda, principalmente para os músicos que não trabalham com contrato assinado, as pessoas tiveram uma ajuda do Estado.

Para Fernando, que trabalha com música sacra em uma igreja, a pandemia não trouxe impactos financeiros significativos. “Tenho um trabalho com contrato físico, então não tive risco. Nas igrejas não tiveram grandes problemas porque, com a liberdade religiosa, elas estão abertas e praticamente é o único lugar que tem música ao vivo na Alemanha”, ressalta.

Em busca dos sonhos

Ao final da transmissão ao vivo, realizada pelo Portal aRede (https://d.arede.info/), Fernando deixou um recado para aqueles que buscam viver da arte. “Música não é profissão, é vocação. Se uma pessoa realmente gosta, ela não deve medir esforços para ir para fora do país. Sobretudo a Alemanha e a França, que são berços da cultura da música clássica”, enfatiza.

Além disso, o ponta-grossense aconselhou que os interessados busquem contato com alunos e professores de fora para que sejam feitos contatos, porque a concorrência é grande. Entretanto, todo o esforço vale a pena. “É uma experiência maravilhosa. As escolas são muito bem estruturadas”, finaliza Fernando Gabriel.

Mais informações sobre o músico acessando o link ao lado (https://www.musikfrieden.de/leitung/dire%C3%A7%C3%A3o/).

PUBLICIDADE

Recomendados