PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Arte contemporânea é tema de debate em espaço multicultural

Mix

19 de maio de 2022 11:19

Da Redação


Siga o a rede no Google News

Relacionadas

PG recebe turnê 'Baile do Nego Véio 2' com Alexandre Pires

Crônicas dos Campos Gerais: Crônica do desaparecido

Confira a coluna RC desta quarta-feira (06/07)

Sedutor fazia vítimas com juras de amor e cueca com foto delas
Silvana Hass faz reestreia no programa CulturAção hoje
Confira a coluna RC desta terça-feira (05/07)
Museu Oscar Niemeyer recebe exposição "Grid"
PUBLICIDADE

Rodas de conversa abordam temas sobre arte contemporânea e as residências artísticas no Campo das Artes, em São Luiz do Purunã

Duas rodas de conversa nos próximos sábados (21 e 28 de maio) integram o projeto Infinitos Campos Gerais, que acontece até o final de junho no Campo das Artes, promovendo também uma residência artística, exposição de arte e oficinas gratuitas para comunidade. O Campo das Artes é um espaço multicultural criado pelo ator Luís Melo, em São Luiz do Purunã, no município de Balsa Nova (PR). 

Todas as atividades são gratuitas. Para a participação nas rodas de conversa é necessário fazer a inscrição pelo email [email protected], pois as vagas são limitadas. 

A segunda Roda de Conversa, no próximo sábado (21) a partir das 14h terá como convidados Vinícius Sprícigo, professor de História da Arte na Unifesp, e Débora Santiago, artista e professora na Unespar, que irão apresentar suas considerações sobre o tema que permeia todo o evento ao abordar a Arte Contemporânea em seu cruzamento com os Campos Gerais do Paraná. No dia 28, será a vez de Ana Rocha e Tony Camargo.

Sprícigo é professor adjunto do Departamento de História da Arte da UNIFESP e membro do Grupo de Pesquisas “Política e Crítica da Arte Contemporânea” (CNPq). O foco da sua pesquisa é o estudo das exposições, voltado, nos últimos anos, para as megaexposições periódicas de arte contemporânea. Realizou pesquisa de pós-doutorado junto ao Research Centre for Transnational Art Identity and Nation da University of the Arts London (2019-2020), é também Doutor pela ECA-USP e, como parte de seu doutorado, foi pesquisador visitante no Royal College of Art e no Projeto Global Art and the Museum (ZKM/Karlsruhe, 2009). Contribuiu, entre outros textos publicados, para os livros The Biennial Reader e German Art in São Paulo, ambos pela Hatje Cantz.

Debora Santiago é também professora na Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR / campus Curitiba I - EMBAP. Possui Doutorado e Mestrado em Artes Visuais (Processos Artísticos Contemporâneos) pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC e Bacharelado em Escultura (1995) pela EMBAP - Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Como artista vem desenvolvendo sua produção desde meados dos anos 1990. Impulsionada pela observação da natureza ao redor e as mudanças perceptíveis com a passagem do tempo a artista utiliza linguagens diversas em suas obras. Atualmente vem realizando aquarelas e projetos coletivos que discutem arte, educação e agroecologia. Integra o GT Cultura e Comunicação da ABA (Associação Brasileira de Agroecologia).

O projeto - Criado pela artista Maria Baptista, o projeto tem como base os conceitos de paisagem cultural, que entende que um lugar pode ser reconhecido por um conjunto de relações e interações entre o natural e o humano; de site­specificity, uma abordagem em que as obras de arte dialogam diretamente com o ambiente, seja o espaço construído, a natureza ou questões históricas, sociais, econômicas e simbólicas do local; e de residências artísticas, quando artistas se dispõem a viver um processo de criação associado a trocas de experiências, inseridos em um território diferente do habitual.

“Interagir com a paisagem é uma das provocações que leva a existência do projeto Infinitos Campos Gerais e sua potencialidade de estimular, por meio da arte contemporânea, novas formas de pensamento e transformação, valorização e preservação dos Campos Gerais”, argumenta Maria Baptista, idealizadora do projeto que está na sua segunda edição. 

Outra frente do projeto trabalha com alguns Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU para uma agenda mundial. Dois objetivos serão abordados: o de Educação de Qualidade, com a oferta de oficinas de arte contemporânea para jovens estudantes da rede pública de ensino de Balsa Nova e a formação de mediadores para acompanhar exposições, ministrada pela arte-educadora Karina Marques; a outra ODS é a de Saúde e Bem-estar, considerando que durante todo o projeto haverá priorização do uso de alimentos sem agrotóxicos e de produtores locais, bem como redução do uso de descartáveis.

Em sua primeira edição, em 2018, o projeto promoveu uma ocupação artística temporária na Fazenda Capão Alto, em Castro, em um casarão tombado pelo Patrimônio Estadual, que possui em seu entorno ruínas centenárias e um jardim com reservas de floresta de araucária. Em 2019, o projeto foi selecionado para representar o Paraná no Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, promovido pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, na categoria Iniciativas de Excelência em Patrimônio Cultural Material.

Infinitos Campos Gerais é realizado com apoio do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Profice) - Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura - Governo do Estado do Paraná. Patrocínio da Companhia Paranaense de Energia (Copel) e parceria do Campo das Artes. O Instituto Purunã e a Prefeitura de Balsa Nova também são apoiadores dessa iniciativa.

Serviço:

Infinitos Campos Gerais – Roda de Conversa com Débora Santiago e Vinicius Sprícigo.

Dia: 21/5/2022, a partir das 14h. 

Campo das Artes  (Estrada da Lage, 370 – São Luiz do Purunã)

Inscrições: [email protected]

Acompanhe nas redes: @infinitoscamposgerais

Com informações: Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados