PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

George e Mainardes trocam farpas na Câmara

Ponta Grossa

15 de maio de 2017 15:51

Afonso Verner


Relacionadas

Secretária de Segurança prevê Ponta Grossa 100% monitorada

Obras de maltaria em PG terão início em março

Muffato construirá hipermercado no Jardim Carvalho

Prefeitura retira 10 toneladas de lixo em arroios após temporais
PG registra 999 novos casos da covid nesta sexta
Stocco aciona MP sobre filas em atendimentos de Ponta Grossa
Alunos do Colégio Agrícola e Caic são premiados na OBMEP
Mainardes e George trocaram acusações no plenário; Vereadores lamentaram a situação Foto: Imagem: Kauter Prado / CMPG
PUBLICIDADE

Durante debate sobre projeto de refinanciamento de dívidas, vereadores travaram discussão intensa e trocaram acusações

Como já era esperado, o clima ‘esquentou’ no Legislativo Municipal de Ponta Grossa durante a sessão desta segunda-feira (15). Os vereadores George de Oliveira (PMN) e Sebastião Mainardes (DEM) trocaram farpas durante a discussão do projeto de lei (PL) 99/2017 de autoria do Poder Executivo. A iniciativa prevê a renegociação de uma dívida de R$ 25,9 milhões da Prefeitura em FGTS (Fundo de garantia por tempo de serviço) dos servidores.

Durante a votação do projeto, George (PMN) pediu a palavra. O vereador chegou a afirmar que a emenda ao PL, proposta por Mainardes, era um “subterfúgio” para que alguns parlamentares mudassem de postura e de posição diante da proposta. Logo após a afirmação, Mainardes (DEM) chamou a atenção de George sobre o fato de que naquele momento o debate era sobre o projeto e não sobre a emenda, discutida em um momento posterior.

Depois disso, os parlamentares trocaram acusações no plenário e Mainardes, presidente da Casa de Leis, interrompeu a fala de George. O vereador do PMN chegou a afirmar que iria “representar” contra o presidente do Legislativo. Outros parlamentares, entre eles Geraldo Stocco (REDE), saíram em defesa do “direito de se manifestar” dos vereadores na tribuna.

Já Pietro Arnaud, também da REDE, e Daniel Milla (PV) lamentaram a “falta de união” do Legislativo ao apresentarem, cada um à sua maneira, visões técnicas sobre a proposta do Executivo. 

PUBLICIDADE

Recomendados