PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Praças ‘adotadas’ por empresários terão wi-fi gratuito

Ponta Grossa

14 de junho de 2017 18:59

Afonso Verner


Relacionadas

Em PG, vacinação de crianças contra a covid inicia sexta

Projeto 'Reaprenda'' contempla 300 presos de Ponta Grossa

Presidente da OAB/PG recebe liderança do Conselho Federal

DAF lança CF rígido 6X2 com novo motor de 6,7 litros
Senac oferece cursos de qualificação em PG
Carta relaciona mortes e guerra de facções em PG
Guarda Municipal apreende arma de fogo na região do Andorinhas
PUBLICIDADE

Legislativo aprovou projeto que possibilita que praças municipais sejam ‘adotadas’ por empresários. Emenda prevê instalação de internet wi-fi no local

Os vereadores da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) aprovaram na sessão desta quarta-feira (14) um projeto de lei (PL) de autoria do Poder Executivo que possibilita que praças da cidade possam ser ‘adotadas’ pela iniciativa privada. O PL 27/2017 foi debatido em primeira discussão e prevê um regulamento para que órgãos privados possam ‘adotar’ praças e cuidar do espaço diante da possibilidade de usar o local para publicidades e “pequeno comércio”. Uma emenda do vereador Felipe Passos (PSDB) prevê a instalação obrigatória de internet wi-fi nas praças ‘adotadas’.

Na mensagem enviada pelo prefeito Marcelo Rangel (PPS) junto do projeto, o chefe do Poder Executivo ressalta que, assim como vários municípios, a Prefeitura de Ponta Grossa não “possui a massa de recursos necessários para o pleno atendimento das demandas sociais”, Rangel lembra que diante de tal déficit orçamentário, o município é obrigado a “fazer escolhas” em priorizar os investimentos na área de saúde, educação e segurança, muitas vezes deixando a conservação das praças de lado.

A proposta do Poder Executivo é que empresas e outros órgãos da iniciativa privada possam ‘adotar’ praças do município diante da devida consulta pública. De acordo com o projeto de lei, as empresas interessadas na parceria terão como obrigações realizar obras de manutenção do local, garantir a ampla circulação dos cidadãos na praça e obedecer o calendário de festividade do município. Uma emenda aditiva de Passos prevê uma nova obrigação aos empresários responsáveis pela adoção.

De acordo com a emenda de Passos, além de ser responsável pela manutenção da praça, o empresário também deverá instalar uma rede de wi-fi gratuita no local – a iniciativa dividiu os vereadores. Geraldo Stocco (REDE) e Eduardo Kalinoski (PSDB) afirmaram que em alguns locais a exigência do wi-fi gratuito faz sentido, no entanto em outros espaços com menos movimentação de pessoas a obrigação por parte do empresário poderia ser inócua.

Em contrapartida à adoção, o empresário poderá utilizar a praça para expor propagandas e realizar o que o Executivo chama de “pequeno comércio”. O projeto prevê ainda que a lei em debate não revoga e nem altera outros tipos de utilização das praças, como bancas de jornais e revistas e feiras já realizadas nestes locais. O projeto prevê ainda que o Poder Público continuará responsável por oferecer segurança nas praças adotadas pela iniciativa privada.

Aprovada em primeira discussão, o projeto será novamente debatido na próxima segunda-feira (19) e, caso aprovado, segue para a sanção do prefeito. A emenda aditiva apresentada por Felipe vai de encontro de uma moção legislativa apresentada pelo própria parlamentar em que o Tucano ressaltava a importância da instalação da internet nas praças municipais.

Prefeito ressalta ‘insucesso’ de outras leis do tipo

Na mensagem enviada ao Legislativo, o prefeito Marcelo Rangel (PPS) ressaltou que várias leis municipais já buscaram “regulamentar a participação da comunidade na conservação de praças e logradouros públicos”, no entanto, ainda de acordo com a mensagem, boa parte das propostas não conquistou o sucesso esperado. Ainda na mensagem que acompanha o projeto, o prefeito ressalta a importância e o sucesso de parcerias público-privadas, modalidade que possibilitou, por exemplo, a revitalização do Mercado Municipal de Ponta Grossa com um investimento estimado de até R$ 80 milhões.

PUBLICIDADE

Recomendados