PUBLICIDADE

Câmara de PG quer votar ‘Plano Diretor’ ainda em 2018

Presidente da Casa de Leis expôs principais objetivos para o ano parlamentar. CPI da Sanepar também foi formada

VÍDEO
| Autor:

Afonso Verner

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) retomou nesta segunda-feira (19) a agenda de sessões ordinárias. Após quase 60 dias desde a última sessão do tipo, no dia 20 dezembro de 2017, os vereadores tiveram um encontro extenso, com a formação das comissões permanentes da Casa de Leis e também da nova Comissão Parlamentar de Inquérito da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná). O presidente da Casa de Leis, Sebastião Mainardes (DEM), também expôs as metas para 2018.

Segundo Mainardes, o objetivo é votar ainda esse ano o Plano Diretor, documento fundamental para o desenvolvimento urbano de Ponta Grossa. “O plano é composto por vários projetos de lei, estamos aguardando esses projetos que são tão importantes para o desenvolvimento da cidade, essa é uma demanda antiga que deve ser contemplada durante este ano”, afirmou o vereador.

A Prefeitura da cidade lançou em janeiro a licitação que irá definir a empresa responsável pelos serviços especializados de consultoria para a revisão do Plano Diretor (PD) e elaboração do Plano de Mobilidade Urbana (Planmob) – o investimento máximo no certame é de R$ 1,7 milhão. Questionado, o presidente da Casa de Leis também adiantou que deverá determinar normas e orientações aos vereadores diante da proximidade do pleito eleitoral.

O presidente destacou que com a possibilidade de vários vereadores participarem do pleito na condição de candidatos, é necessário expor as regras e orientações gerais de atuação na Câmara. “Durante o período de campanha, as obrigações dos vereadores não mudam em nada e a estrutura do Legislativo não pode ser usada para fazer campanha política. Vamos reforçar isso em um comunicado aos parlamentares”, disse o democrata.

Durante a primeira sessão ordinária do ano, os parlamentares compuseram as comissões fixas da Casa de Leis – tradicionalmente a Comissão de Legislação, Justiça e Redação (CLJR) é a mais concorrida. Como não houve consenso entre as lideranças partidárias, a CLJR teve a formação decidida em plenário e ficou composta por Vinícius Camargo (PMB), Dr. Zeca (PPS), Pietro Arnaud (REDE), Florenal (Podemos) e Ricardo Zampieri (SD) – os cargos internos da Comissão serão definidos em um segundo momento.

CPI foi formada em votação no plenário

Criada a pedido do vereador Geraldo Stocco (REDE), a nova CPI da Sanepar também teve os membros escolhidos nesta segunda-feira (19). Como não houve consenso entre as lideranças na indicação dos membros, a votação também foi feita em plenário – além de Stocco, mostram interesse em participar os vereadores George (PMN), Florenal (Podemos), Celso (PRTB), Guiarone (PROS), Rudolf (PPS) e Daniel Milla (PV) -  durante a votação ficaram de fora da CPI Celso e Guiarone. Os membros da CPI também deverão discutir os cargos internos nos próximos dias.

Clima tenso

Durante o pequeno expediente, período em que os vereadores usam a tribuna após a votação dos projetos, Celso Cieslak (PRTB) usou a palavra para afirmar que as formações das comissões anteriores havia sido “ilegal” por não ter sido feita em plenário. Celso foi prontamente respondido pelo presidente, Sebastião Mainardes (DEM).

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE