PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

PG ganha política pública de incentivo aos músicos locais

Ponta Grossa

05 de março de 2018 18:22

Afonso Verner


Relacionadas

Popular invade igreja de PG e ateia fogo em capela

PG tem novas etapas de vacinação infantil contra covid

Mortos em confronto com a PM são identificados em PG

ACGF PG sedia campeonato de futsal neste fim de semana
PM diz que mortos em confronto são membros de facção
Festa das Nações de Santa Rita começa neste sábado
Prefeitura realiza primeira edição de feira gastronômica
Stocco e Rudolf são os autores do projeto de lei Foto: Imagem: Kauter Prado / CMPG
PUBLICIDADE

A Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) aprovou nesta segunda-feira (5), em segunda discussão, o projeto de lei 214/2017, de autoria dos vereadores Geraldo Stocco (REDE) e Rudolf ‘Polaco’ (PPS). Intitulada ‘Novos Talentos’, a proposta torna obrigatória a contratação de músicos de Ponta Grossa em eventos bancados com dinheiro público ou realizados em espaços que pertençam ao município. O projeto segue agora para a avalição do prefeito Marcelo Rangel (PPS).

A iniciativa já havia sido aprovada em primeira discussão no mês de março de 2017, mas acabou recebendo um pedido de vistas e também ganhou modificações no texto. Na visão de Stocco, a proposta foi criada por conta da dificuldade de um artista local em conseguir visibilidade, além de garantir incentivos que contribuam para o aumento no número de apresentações.

De acordo com o texto aprovado pelo Legislativo, a forma de seleção das bandas, cantores os grupos musicais ficaria a critério do próprio diretor artístico ou da produção do show – desde que obedeça os critérios descritos na lei: artistas que residem em Ponta Grossa. Caso não seja possível cumprir a medida, abre-se a possibilidade de utilizar músicos que residem no Paraná. O descumprimento da medida obriga a devolução dos recursos públicos obtidos para a realização do evento, além de multa de 200 valores-referência (VRs) – mais de R$ 15,1 mil.

Rudolf lembra que a proposta é simples e representa uma espécie de contrapartida dos empresários que realizam eventos em locais públicos, como o Centro de Eventos, ou com participação de recursos da Prefeitura. “Nada mais justo que contribuir com a valorização de tantos talentos locais que muitas vezes não tem a oportunidade em se apresenta em um palco de maior visibilidade”, afirmou o parlamentar.

Para o presidente da Fundação Municipal de Cultura, Fernando Durante, a proposta é positiva para o setor. “A Fundação tem aberto espaço para os músicos locais em todos os eventos culturais que realizamos, como é o caso do Sexta às Seis, Festival de Música, Natal Iluminado, entre outros. Este projeto, apresentado e aprovado pela Câmara, segue com este mesmo objetivo”, afirmou Durante.

Debate sobre cultura é ‘raríssimo’

Projetos de lei que tratam do setor cultural são raros na Câmara de Ponta Grossa. Normalmente, temas como segurança, emprego, educação e mobilidade urbana dominam a pauta do Legislativo. A proposta de Rudolf (PPS) e Stocco (REDE) é uma das poucas iniciativas que tratam do tema – o projeto seguirá agora para a avaliação do prefeito Marcelo Rangel (PPS) que tem 15 dias para sancionar ou vetar e medida. Caso o prazo seja descumprido, o Legislativo deverá promulgar a proposta e torna-la lei. 

Com informações da assessoria. 

PUBLICIDADE

Recomendados