Polícia de PG ouve hoje mãe de vítima de feminicídio

Ponta Grossa

19 de março de 2019 18:31

Da Redação


Relacionadas

Dono de bar é multado por desrespeitar toque de recolher

Rodada de Negócios visa a fortalecer associativismo

Comunidade Terapêutica realiza sorteio de prêmios em PG

Novo boletim traz mais de 100 novos casos de covid-19
Slaviero confirma construção de novo hotel em PG
Prefeitura de PG autoriza reabertura da rodoviária
Equipe de Robótica promove vaquinha virtual
Rosa Oliveira recebeu alta e vai prestar depoimento à Polícia Civil nesta quarta-feira Foto: Reprodução/Facebook
PUBLICIDADE

Rosa Aparecida Oliveira deixou o Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais nesta terça-feira e deve ser ouvido

Nove dias depois de ver a filha ser assassinada e quase perder a vida, Rosa Aparecida Oliveira deixou o Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais no início da tarde desta terça-feira (19). Ela chegou a ficar internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e respirou com a ajuda de aparelhos, mas seu quadro de saúde evoluiu bem e os médicos avaliaram que ela poderia continuar com o tratamento em casa.

A mulher de 60 anos foi esfaqueada no pescoço na mesma madrugada que sua filha, Lidiane Oliveira, foi morta a facadas, em 10 de maio. O principal suspeito do crime, que confessou o assassinato, é Jhonatan Campos, de 22 anos. Ele foi preso na última quinta-feira (14), depois de se apresentar à Polícia Civil para prestar depoimento, por conta de um mandado de prisão que já tinha sido expedido.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Jairo Luiz Duarte de Camargo, Rosa deve ser ouvida nesta quarta-feira (20) para dar sua versão dos fatos do dia do crime. O horário da oitiva não foi revelado pela polícia.

PUBLICIDADE

Recomendados