Pergunta homofóbica em cinema causa tsunami na web

Ponta Grossa

09 de abril de 2019 14:05

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Lumen Café abre suas portas nesta terça-feira

Rudolf destaca ações da Guarda na ‘Operação Saturação’

Ação conjunta do MPF derruba preço do pedágio

Justiça Federal abre edital para fomento à Saúde em PG
Pietro é reeleito corregedor geral da Câmara de PG
Irmãos Narguileiros inaugura mais uma filial no Centro de PG
Sala do Empreendedor inicia Semana de Regularização Fiscal
Junior Vieira afirma ter sido vítima de homofobia ao levar namorado para assistir ao filme Shazan Foto: Administrador
PUBLICIDADE

Rapaz leva namorado ao cinema e segurança solta essa: ‘vocês gostam de homem ou de mulher?

As redes sociais ainda sacodem com o textão produzido por Júnior Vieira, 20. Ele demonstra incredulidade com a forma que ele e o namorado foram tratados pelo funcionário de um cinema, em Ponta Grossa, e coloca em pauta os resquícios de uma cidade conservadora, derivando, ainda, pela falta de sensibilidade de alguns profissionais que trabalham com o público, em relação aos homossexuais. ‘Júnior Vieira, 20 anos, homossexual com muito orgulho, repúdio o que vivi, e vou atrás dos meus direitos! Se fere minha existência. Sou resistência sim!!!Vai ter que me respeitar. Vai ter que me aceitar sim!!!’, diz, em sua página social. A manifestação pública do rapaz, nesta manhã, teve enorme repercussão nas redes sociais.

A seguir, a íntegra da carta de Junior Vieira:

‘Hoje eu venho aqui relatar uma situação extremamente revoltante que vivenciei na Sexta-Feira(05/04) no cinema aqui de Ponta Grossa. Demorei 4 dias pra tornar público, por medo. "Quando falamos temos medo de que as nossas palavras não vão ser ouvidas ou bem-vindas. Mas quando estamos em silêncio, ainda temos medo. Por isso é melhor falar. "
Bem
Estava eu bem tranquilo o dia todo, por volta de 4 horas cheguei ao Shopping acompanhado pelo namorado, afim de assistir o filme "Shazan", certo, ia pegar a sessão das 16:30, tudo numa boa. Comprei pipoca, chocolate e tal... e fui até a entrada da sessão (Sala 1), ali na entrada fomos abordados (eu e meu namorado) pelo rapaz que fica pegando os bilhetes para entrar no cinema. Até ai tudo ótimo.. Ele pergunta nossa idade, eu falo tranquilamente (até dei risada, devido eu não aparentar ter 20 anos), ate ai tranquilo pra mim, porque sei que tem filmes que tem classificação indicativa e tal. A revolta vem a seguir. Depois de perguntar a idade, ele faz a seguinte pergunta "vocês gostam de homem ou de mulher?" Em tom de deboche cara, na hora eu pensei, eu pensei pra responder, parece que eu não sabia a resposta pra que diabos(desculpe o palavreado) o cara precisa perguntar minha orientação sexual pra eu entrar no cinema? eu me senti muito lesado, extremamente ofendido, humilhado!!! e mesmo assim eu pensei,porque não acreditava que aquilo tava acontecendo, eu peguei e disse "de homem, mas porque?" O rapaz disse dando risadinha "por nada é que é normal perguntar, hoje em dia todo mundo pergunta" eu prontamente disse "não! não é normal", e não entrei, fui até a mulher do caixa (da parte que vende pipoca) e falei que precisava fazer una reclamação contei pra ela o que tinha ouvido e disse que aquilo era um desrespeito como pode ela prontamente me atendeu e mandou eu esperar.. Nesse tempo, em que a mulher foi mexer na rádio pra chamar a gerente, o cara falou "por que você ta fazendo isso? Eu vou quebrar a sua cara". eu disse, que era só bater, ele falou que ia fazer una brincadeira 
ai chegou o gerente, perguntou primeiro pra ele, ai veio falar comigo. me ouviu e ficou em silêncio. 
eu sentei e fiquei quieto, esperando que me falaram que vinha uma gerente falar comigo. 
nessa hora estava tentando ligar para a polícia, quando a  Deboralee Lee me ligou, pra falar sobre outro assunto, eu ja contei a situação pra ela que prontamente me atendeu, me acalmou para que eu não fizesse nada pra sair de errado, porque é o que acontece, passou pra advogada da ONG, que como sempre atendeu com muita atenção e me falou o que era pra ser feito.

Elas orientaram que poderia entrar no cinema, mais como ia entrar.

Sabe o que me revolta? e que o gerente na hora que viu que eu tava em ligação escondeu o rapaz, ele sumiu.. não me passaram nome, única coisa que a gerente disse foi que a minha advogada precisava ir ate lá pra pegar alguma informação, e perguntou se eu não queria o dinheiro pra ressarcir e eu não sair prejudicado. Lógico que não aceitei, não entrei no cinema o dia pra mim acabou...

É bom destacar que eu não levantei a voz, não me alterei momento algum(apesar de estar muito revoltado) eu só perguntava o por que a minha orientação sexual tinha que ser um pré-requisito pra entrar na sessão... veio segurança, eles queriam que eu fosse idiota, e fizesse alguma coisa pra me expulsarem, muito pelo contrário. 
Segui conselhos, que aprendi todo esse tempo de vida, de ONG  Renascer Lgbt... que, a melhor saída é manter o rebolado! manter a calma...

Claro que depois que sai, chorei horrores, fiquei muito mal, não acreditando que isso tinha acontecido...

Acho que as pessoas que trabalham com o público, tem que ter uma instrução.. Deixou parecer que é normal, pro cinema perguntar a orientação sexual, mais pra mim não é normal, pra lei também não ..A hora que comprei a entrada não dizia sobre "só entra hetero, só entra homossexual, ou coisa do tipo" classificação indicativa ok, agora classificação "orientação sexual???" por favor!!!"

Resultado, vou entrar com uma ação judicial, atrás dos meus direitos como ser humano! que quer ser respeitado, aonde for.  Para que nunca ninguém mais saia como eu sai desse cinema!

Quero ser tratado com respeito! ser visto como uma pessoa. "A Constituição nos dá o direito à livre expressão. O direito à livre expressão não dá a ninguém o direito de se cometer um crime" não podemos nos calar, e baixar a cabeça para essas coisas

Eu Júnior Vieira, 20 anos, homossexual com muito orgulho, repúdio o que vivi, e vou atrás dos meus direitos! Se fere minha existência... Sou resistência sim!!!Vai ter que me respeitar... Vai ter que me aceitar sim!!!’

 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede