PG terá manifestação pró-Bolsonaro no domingo

Ponta Grossa

20 de maio de 2019 16:47

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Diocese entrega agasalhos arrecadados para entidade

Projeto oferece apoio a gestantes de Ponta Grossa

Acusado de feminicídio vai a novo júri popular nesta quinta

Javalis de Vila Velha transmitem a Febre Maculosa
Acidentes nas estradas deixam sete mortos no PR
Alunos da Escola de Trânsito conseguem cadeiras de rodas
Após arrombar mercado, rapaz é detido por seguranças
Manifestação deve levar apoiadores do governo federal às ruas no domingo Foto: Reprodução/Youtube
PUBLICIDADE

Evento vem sendo divulgado pelas sociais com o objetivo de prestar apoio nas pautas levantadas pelo governo federal. Concentração é na Igreja dos Polacos às 15 horas.

Lideranças locais organizam para este domingo (26) uma manifestação em apoio às pautas levantadas pelo governo federal e pelo presidente Jair Bolsonaro. A ação acontece pouco mais de uma semana após os protestos contra o corte – ou contingenciamento – de parte das verbas do Ministério da Educação destinadas às universidades federais.  O ato pro-Bolsonaro em Ponta Grossa acontecerá simultaneamente em outras cidades brasileiras.

A concentração será na Praça Barão de Guaraúna, em frente à Igreja dos Polacos, a partir das 15 horas. As pautas levantadas durante a manifestação vem sendo divulgadas nas redes sociais desde o final de semana. Os participantes estarão nas ruas em defesa da Reforma Administrativa e da Previdência, da Reforma Tributária apresentada pelo Ministro da Educação, Paulo Guedes e do ‘Pacote Anticrimes’ apresentado pelo Ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Na pauta, também estão posicionamentos contrários às ações do STF e dos partidos de ‘Centro’. Os manifestantes também prestam apoio às bandeiras referentes ao porte e posse de armas, além da chamada ‘Lava Toga’ no Senado Federal – ação do Congresso que pretende investigar ações do Judiciário.

Em nível nacional, um dos principais grupos a organizar protestos na época em que se pedia o impeachment de Dilma Rousseff, o Movimento Brasil Livre (MBL) não só negou qualquer participação na convocação, como se colocou contrário a ela, chamando-a de "estranha" e promovida por um "setor radical". O NasRuas também não vai participar. “Apoiamos a nova Previdência, a reforma tributária e o pacote anticrime. Como a grande maioria dos brasileiros, queremos que o País dê certo e se desenvolva. Não estamos aderindo a esta manifestação pois achamos as pautas confusas e dispersas. Somos apartidários”, disse Tomé Abduch, porta-voz do movimento NasRuas.

O presidente da comissão especial da reforma da Previdência na Câmara, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), afirmou, nesta segunda-feira (20), que as manifestações que estão sendo convocadas em apoio ao presidente Jair Bolsonaro são “sem pé nem cabeça” e “a coisa mais surreal” que já viu em sua vida. Segundo ele, a atitude dos bolsonaristas cria um “clima de questionamento das instituições democráticas” e gera “um caos no país”.

“Esse protesto do dia 26 de maio é a coisa mais surreal que eu já vi na minha vida. É um protesto a favor da reforma da Previdência contra quem é a favor da reforma da Previdência. É um negócio sem pé nem cabeça. Não é a favor da Previdência. Esse protesto é um protesto para gerar um clima de questionamento das instituições democráticas e criar um caos no país”, afirmou, em um evento na Assembleia Legislativa da Bahia, para debater o texto enviado pelo governo ao Congresso.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede