Prolar projeta  novo residencial de R$ 53 milhões

Ponta Grossa

04 de junho de 2019 20:09

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Negociação beneficia empresas de Ponta Grossa

UEPG promove oficinas com encontro de gerações

Unopar amplia possibilidade de ingresso ao Ensino Superior

Feira Verde recebe 1.500 T de reciclável no primeiro semestre
“UEPG impacta R$ 0,5 bi na economia local”, diz reitor
ACIPG visa expandir pontos de consulta de SPC/Serasa
Justiça autoriza PG a cobrar taxa de lixo sobre garagens
Dino Schrutt acredita que 40% das casas do residencial serão habitadas por famílias que estão na fila da Prolar Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Projeto Jardim das Flores, que  prevê a construção de  560 unidades, já foi contratado pela Caixa Econômica

A região do bairro Neves, em Ponta Grossa, receberá um investimento superior a R$ 50 milhões no ramo imobiliário. Será para a construção do loteamento residencial Jardim das Flores, idealizado pela Construtora PRM. Voltado para atender as famílias através do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida (MCMV), ele será construído em uma área localizada entre os residenciais Costa Rica e Jardim San Martin. No total, o projeto contempla a construção de 560 unidades habitacionais. O valor aplicado, já contabilizado a infraestrutura, atingirá R$ 53 milhões, que serão movimentados na economia municipal. 

Dino Athos Schrutt, presidente da Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar), afirma que o projeto já foi contratado pela Caixa Econômica Federal, e que neste primeiro módulo de construção serão 210 unidades entregues. O projeto residencial aberto oferecerá casas pelo preço de até R$ 120 mil, podendo ser contempladas as famílias que estão na fila da Prolar que pertencem à faixa 1,5 e 2 do MCMV. O subsídio a essas famílias, lembra Schrutt, pode chegar a até R$ 36 mil (no caso da faixa 1,5).

As vendas serão abertas ao mercado, mas há uma estimativa de que quase metade das unidades sejam ocupadas por famílias que estão na fila da Prolar. “Há a expectativa de atender 40% já nessa primeira etapa”, assegura Schrutt, lembrando que a fila da Prolar para essa faixa de renda passa de 10 mil famílias. Segundo Dino, normalmente a partir da contratação e financiamento, o projeto é executado entre 12 e 15 meses. A área ocupada para a construção do loteamento será de 58,7 mil m².

Um dos principais benefícios do projeto, aponta o presidente da Companhia, é o reflexo que trará para toda a comunidade no entorno, através das medidas mitigatórias, conforme previsto pelo Iplan, após a submissão do EIV. “Ao levar esse projeto para aquela região, será feita uma interligação interbairros entre esse empreendimento e a Estrada do Alagados. Então vai aumentar a mobilidade urbana”, diz Dino, lembrando que hoje, por exemplo, o único acesso ao Costa Rica é feito pela Estrada Municipal Sebastião Bastos. Além da ligação, outras medidas foram anunciadas, que vão beneficiar todos os moradores da região, como a construção de pontos de ônibus, ampliação de escola, entre outros.


Prolar contribui na reabilitação

Uma das ações de destaque da Prolar, informa Dino Schrutt, é dar condições para que as famílias consigam fazer o financiamento da sonhada casa própria. “O que temos feto com essas contratações é qualificar a demanda. Para famílias que tinham problemas com as finanças, estamos prestando educação financeira e reabilitação de mercado. Estamos conseguindo resgatar famílias com renda formal que não estavam aptos, para formalizar esse financiamento”, informa, lembrando que essa reabilitação é positiva também pelo fato de a pessoa voltar a poder estar resgatada junto ao mercado.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede