UEPG promove oficinas com encontro de gerações

Ponta Grossa

18 de julho de 2019 21:10

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

UEPG refaz calendário e aulas voltam segunda

PRF recupera na BR 376 carreta furtada em Santa Catarina

PM detém suspeitos de arrombarem brechó

Após seis horas, homem desiste de pular de torre
Motociclista fratura a perna em batida com carro
Carro capota após bater em barranco e fere motorista
Ladrões rendem funcionário e assaltam transportadora
As atividades desenvolvidas trabalham com criatividade e tecnologia Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

As atividades desenvolvidas trabalham com criatividade e tecnologia

Troca de conhecimentos, diversão e colaboração, sem se importar com a idade dos companheiros de trabalho. Esse é o clima nas oficinas de férias – todas voltadas à tecnologia – promovidas pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte. Os cursos ocorrem até esta sexta-feira (19), no Seed Lab, projeto da pasta que busca incentivar o uso de novas metodologias no ambiente escolar.

Técnico pedagógico do espaço, Ailton Lopes conta que o público que se inscreveu para as oficinas foi bastante variado – crianças e adultos, passando por jovens que cursam o Ensino Médio e universitários. A idade mínima para participar é 8 anos. “Há crianças trabalhando com os adultos, pais e filhos trabalhando juntos. O clima é de parceria, muito característico da aprendizagem criativa. É uma troca de experiências com os pares, independentemente da idade”, afirma.

É o caso do técnico em informática Fabio de Goes, que participou da oficina Lançamento de Foguetes junto do filho Miguel, 10 anos. Goes explica que, como pai, assumiu um papel mais de auxiliar durante o curso para que o menino, que adora Ciências e Matemática e sonha em ser astronauta, pudesse assumir o protagonismo da experiência.

“Na minha época de infância eu não tive oportunidades como essa. Então, tudo o que meu pai não teve tempo de fazer comigo, eu tento proporcionar para ele”, diz Goes, que ressaltou a importância de oferta oficinas do gênero, e sem custo para os participantes.

Mesmo as crianças que não estavam acompanhadas pelos pais acabaram sendo “adotadas” por outros adultos que passaram pelo Seed Lab. Enquanto o filho participava do curso Descomplicando a Programação, o professor de Biologia Alexandre Aparecido da Silva formou dupla com Isabella Machado, 8 anos, na oficina de foguetes. Foi a mãe da menina que soube da oficina e decidiu inscrever a filha, já que ela gosta muito de Matemática.

Usando materiais como embalagens usadas de caneta, elásticos, garrafas pet, canos de PVC e papelão para montar o artefato, que mais tarde seria lançado, eles puderam aprender conceitos físicos, como trajetória, movimento e energia, similares aos que são utilizados na Olimpíada Brasileira de Astronomia. Silva aprovou a experiência de trabalhar com alguém bem mais jovem. “Foi muito bom aprender com a Isabella e também ensinar. Acho que ela não vai se esquecer nunca da nossa parceria”.


Oportunidade 

As oficinas do Seed Lab priorizam a criatividade, o aprender e ensinar de forma divertida. As crianças também são tranquilizadas de que errar não é nada de outro mundo. Na aprendizagem ‘mão na massa’ o erro é etapa natural do processo, uma vez que o conhecimento construído de forma empírica tem variáveis que precisam ser levadas em consideração.

Para quem atua na Educação, as oficinas são uma oportunidade para inspirar novas metodologias a serem trabalhadas em sala. Mesmo sem conhecimento prévio na área, a pedagoga Gisele Rosa decidiu se inscrever no curso Descomplicando a Programação. “Exatamente por eu ser pedagoga, vim conhecer um pouco mais sobre programação, para poder dialogar com os professores e levar inovação para os alunos da escola onde eu atuo”, disse. “É uma oportunidade que todos deveriam aproveitar, pois enriquece a vivência pessoal e, principalmente, a profissional”.

O também pedagogo Rodrigo Cardoso se aventurou na programação com o intuito de compartilhar a experiência com equipe pedagógica e alunos da escola onde trabalha. “Eu cobro tanto dos professores que eles têm que fazer atividades com metodologias diferenciadas para sair um pouco do tradicional quadro e giz. E se cobro deles, eu também tenho que me aperfeiçoar. Mesmo com o recesso eu quis vir aprender e deixei para passear depois”.

A oficina Descomplicando a Programação abordou temas como pensamento computacional, programação desplugada e até robótica. Os participantes montaram e programaram robôs com Lego. A atividade contou com a participação da equipe de robótica Doctors Machines, formada por alunos e ex-alunos do Colégio Estadual Padre Cláudio Morelli, de Curitiba. A equipe foi bicampeã regional da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) e recentemente se classificou para a etapa estadual


SEED LAB

O Seed Lab é um projeto desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia e Inovação Educacional (DIT) da Secretaria da Educação e do Esporte. Com sede em Curitiba, foi criado com a finalidade de promover e incentivar o uso de novas metodologias e tecnologias nas escolas do Estado.

Periodicamente, o espaço promove oficinas voltadas tanto a alunos e professores da rede estadual quanto à comunidade em geral. Neste recesso de julho de 2019 foram ofertadas 240 vagas, divididas em oito oficinas: A Arte do Corte a Laser; Descomplicando a Programação; Desenvolvimento de Histórias em Quadrinhos; Fábrica de Brinquedos Eletrônicos; Lançamento de Foguetes; Programe como uma Garota; Projetando Máquinas Hidráulicas; Técnicas da Animação Clássica. Mais uma edição de oficinas deve ocorrer em janeiro.

Com informações da Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede