Hospital apura denúncia de erro em transfusão

Ponta Grossa

07 de setembro de 2019 09:46

Fernando Rogala


Relacionadas

Empresas destacam cuidados ao retomar atividades

Professor Edson defende conquistas históricas do PT

Pietro e Aliel recebem pais de alunos do colégio Sesi de PG

Conselho divulga carta contra mudança no prédio da Estação Paraná
Fundação de Saúde registra 65 novos casos de Covid
Pequena Letícia precisa de ajuda para sobreviver
Congresso Internacional debate Sociedade de Risco
Caso ocorreu no Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Família se dirigiu até a delegacia registrar um Boletim de Ocorrência após um suposto erro em uma transfusão de sangue

O Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HURCG) vai apurar uma denúncia em relação a um suposto erro em uma transfusão de sangue. Eliana de Fátima França, mãe de uma paciente do HU, dirigiu-se, na madrugada deste sábado (7) até a 13ª Subdivisão Policial para registrar um Boletim de Ocorrência contra um possível erro médico, que ocorreu no hospital. Segundo ela, sua filha Brenda, de 22 anos, precisava da transfusão de sangue, porém há a suspeita de que a transfusão foi feita com um sangue incompatível com o da paciente. Ela tem sangue do tipo ‘O’ negativo e supostamente teria recebido do tipo ‘A’ positivo. Após a transfusão, houve rejeição e a paciente precisou de atendimento emergencial. Segundo nota enviada pela assessoria de imprensa do HU, o quadro da paciente é estável.

Tudo teve início nesta sexta-feira (6). A paciente chegou ao hospital, e após exames, houve a constatação de que ela estaria com leucemia aguda. O médico informou que ela precisaria ser internada. No Pronto Atendimento, enquanto havia a espera para a transferência para outro hospital especializado, houve a necessidade da realização de uma transfusão. Eliana informou à reportagem que sua outra filha ficou com Brenda no hospital. “Aí chegou a bolsa e a enfermeira colocou o sangue errado. Colocou o ‘A’ e o dela é ‘O’ negativo”, disse a mãe à reportagem COP aRede.

Eliana disse que sua filha, que estava de acompanhante, teria visto o erro após a reação, ao ver a bolsa de sangue, onde estava anotado o sangue do tipo ‘A’. “Logo que recebeu o sangue, ela passou mal. houve a reação, ela começou a tremer, deu taquicardia. Minha filha, ao perceber isso, foi chamar o médico para ver o que tinha acontecido. E ao ver abolsa, viu que estava errado o sangue”, informou a mãe. Com isso, segundo a mãe, Brenda recebeu tratamento emergencial para reverter a reação.

 

Hospital Regional fará investigação sobre o caso

Em nota enviada para a redação do Portal aRede, a assessoria de imprensa do Hospital regional detalhou o caso e informou que irá abrir uma investigação interna. Confira a nota na íntegra:

"A paciente BLN, 22 anos, na tarde de sexta feira foi atendida no ambulatório por médico especialista, sendo internada emergencialmente no Pronto Atendimento para realizar medicações e transfusão de sangue enquanto aguarda transferência para hospital especializado. Às 00:26, recebeu os tratamentos adequados para reverter uma reação transfusional, ainda no Setor de Pronto Atendimento do HU. O hospital está averiguando todos os protocolos e procedimentos para verificar se houve falha no processo e tomar os procedimentos cabíveis. A paciente segue estável em leito de emergência no Pronto Atendimento."

PUBLICIDADE

Recomendados