Apreensão de cigarros nos Campos Gerais cresce 20% em 2019

Ponta Grossa

10 de setembro de 2019 21:32

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Criança fica em estado grave após acidente com trem

Automóvel colide com ônibus na Ronda

Automóvel colide com trem na Vila Borato

Corrida de rolimã movimenta a Visconde de Taunay
Criança é atropelada por trem no Nova Rússia
Carro dispara em posto e frentista evita acidente
Desfile cívico comemora aniversário do Núcleo Rio Verde
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

PRF divulgou dados sobre apreensões em todo o Estado. Trabalho conjunto tem contribuído com o combate ao contrabando

As equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam cerca de 24,6 milhões de carteiras de cigarro contrabandeadas do Paraguai nos primeiros oito meses deste ano no Paraná. Na Região dos Campos Gerais o aumento nas apreensões foi de 20% se comparado com 2018.

No Paraná, o número alcançado até agosto deste ano já é 33,7% superior ao registrado durante todo o ano de 2018, quando 18,4 milhões de carteiras foram apreendidas no estado. O balanço parcial coloca 2019 na segunda posição no ranking de apreensões dos últimos dez anos no Paraná, atrás apenas de 2013, ano em que a PRF apreendeu 31,1 milhões de carteiras.

O Paraná é o estado brasileiro onde a Polícia Rodoviária Federal (PRF) mais apreende cigarros contrabandeados. Na sequência, aparecem os estados de Mato Grosso do Sul e Goiás. Boa parte dos carros e caminhões apreendidos pela PRF com cigarro são produto de roubo ou furto. Além de alimentar essa cadeia de crimes associados, a prática do contrabando provoca uma evasão fiscal bilionária, uma vez que cerca de 80% do preço do cigarro brasileiro corresponde a tributos.

De acordo com o inspetor da PRF Aurélio, chefe da Delegacia dos Campos Gerais, apenas em 2019 foram 1.804.220 carteiras apreendidas, contra 1.514.910 em 2018 - os dados dizem respeito ao período de 01/01 à 31/08 de cada mês. “Vale considerar que muitas das apreensões realizadas em outras Regiões do Estado ou do país, são frutos de trabalhos realizados pelos PRFs de nossa Região,  uma vez que a Instituição é Federal e permite que as abordagens ocorram em outros Estados, conforme o compartilhamento das informações e assegurando os princípios da oportunidade e segurança”, diz Aurélio.

O inspetor usa como exemplo uma grande apreensão ocorrida em Barra do Turvo, no interior de São Paulo, no último dia 7 de setembro. “Foram apreendidos 523 kg de maconha em razão de trabalhos realizados pelos PRFs de Ponta Grossa”, contou Aurélio. 

Danos provocados pelo contrabando

Ainda de acordo com a PRF, o contrabando afeta ainda a saúde pública, por ofertar à população produtos nocivos a preços inferiores aos de mercado, sem qualquer tipo de controle sanitário e sem as advertências obrigatórias nas embalagens. E acaba por constituir uma atividade rentável para o crime organizado.

Quem tenha qualquer informação sobre veículos transportando cargas ilícitas em rodovias federais pode ligar e passar informações, inclusive de forma anônima, para o telefone 191 da PRF. O crime de contrabando tem pena prevista de dois a cinco anos de prisão. Desde 2010 até hoje, a Polícia Rodoviária Federal apreendeu 187 milhões de carteiras de cigarro no Paraná.

Com informações da assessoria. 

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede