Polícia de PG prende universitário envolvido em crimes

Ponta Grossa

20 de setembro de 2019 16:56

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Motociclista fica ferido após acidente em Uvaranas

Compras públicas em PG movimentam R$ 454 mi

Receita Estadual terá estande e realiza palestra na Feira Paraná

Cipauto conquista prêmio concessionária classe ‘A’
Sindirepa oferece curso de mecânica básica para mulheres
Destaques desta terça-feira no Portal aRede
Aliel Machado parabeniza os professores pelo seu dia
PUBLICIDADE

Operação ‘Safe Box’ deteve três pessoas, entre elas um estudante de Odontologia. Quadrilha aplicava furtos milionários na região dos Campos Gerais e em Santa Catarina

A Polícia Civil de Ponta Grossa, sob o comando do delegado Fernando Jasinski, deflagrou nesta sexta-feira (20) a operação Safe Box -  o nome da operação faz menção ao tipo de furto praticado pela organização criminosa. Ao todo, quatro pessoas foram presas na cidade - entre elas um rapaz de 22 anos, estudante do último ano do curso de Odontologia. 

De acordo com o delegado Jasinski, foram cumpridos três mandados de prisão pelo crime de roubo. Entre os presos está um jovem identificado como E.A.S, 26 anos de idade, que já possuía um mandado de prisão pelo crime de homicídio em Cascavel, cidade no Oeste do Paraná - ele usava documentos falsos para se esconder em Ponta Grossa. 

A operação também contou com a prisão de D. J. S. 22 anos, residente da cidade de Curitiba, e I. F. S. C. 22 anos - de acordo com a Polícia, esse rapaz é estudante de odontologia e estava prestes a se formar. “Os presos praticaram dezenas de arrombamentos a cofres em correspondentes bancários, supermercados, postos de combustíveis, empresas de defensivos agrícolas e outros estabelecimentos comerciais, em muitas ocasiões, inclusive, mais de um por semana”, contou a autoridade policial.

Bandidos deixavam grande prejuízo para vítimas 

De acordo com Jasinski, durante a ação os bandidos costumavam quebrar paredes, além de serrar os cofres, gerando grandes prejuízos às vítimas. “Estima-se que a organização criminosa gerou vários milhões de prejuízos às vítimas nas dezenas de crimes com os quais teria envolvimento”, explica o delegado.

Segundo Jasinski, durante meses de investigação, a Polícia Civil de Ponta Grossa coletou muitas informações do envolvimento destes indivíduos com os crimes investigados, representando-se, então, pela prisão do grupo. “Além disso, cumprimos mandado de busca e apreensão onde foram apreendidos celulares, dinheiro e diversos objetos que eram usados para a prática dos crimes”, contou.

Jasinski lembrou ainda que a organização criminosa estaria envolvida com crimes nas cidades de Ponta Grossa, Teixeira Soares, Castro, Irati, Campo Magro, Colombo, além de Gaspar no Estado de Santa Catarina.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede