“Se alguém foi desacatado, fui eu”, diz George após ser detido

Ponta Grossa

07 de novembro de 2019 16:20

Afonso Verner


Relacionadas

Vinicius lamenta decisão da Câmara sobre organizações sociais

Stocco propõe nova ação para acolher moradores de rua

Igrejas de PG se preparam para retorno de missas com fiéis

Sanepar realiza obras em Oficinas nesta terça-feira
ACIPG auxiliará empresas a venderem para o governo
Novo caso da covid é confirmado em PG; total é de 61
Acidente com trator fere idosa; veja imagens
PUBLICIDADE

Vereador foi conduzido ao Fórum para assinar termo circunstanciado. “A Polícia está equivocada”, contou

O vereador George de Oliveira (PMN) foi conduzido ao Cartório da Polícia Militar, no Fórum da cidade. Oliveira foi conduzido pela Polícia Militar após uma confusão no Pronto Socorro Municipal (PSM) na tarde desta quinta-feira (7) - ele foi levado para assinar um termo circunstanciado. 

“A Polícia vai perceber o equívoco, estou sendo novamente retalhado pelo meu trabalho. Sou vereador e vereador deve atuar e fiscalizar 24 horas por dia”, afirmou George. “Não tenho a  possibilidade de pegar meu carro e ir embora, então estou preso. Mas vou procurar meus direitos”, garantiu Oliveira.

Perguntado se a detenção se dava por conta de um desacatado a uma servidora pública, George negou. “Se alguém aqui foi desacatado, fui eu. Tem vídeos que mostram que não houve desacato, vim aqui cumprir meu papel fiscalizador. Eu vim fiscalizar e fazer aquilo que nenhum outro vereador fez”, disse George. 

Antes de ser levado ao Fórum, Oliveira se disse “aliviado”. “Sinto um alívio por chamar a atenção das pessoas para o que está acontecendo no Pronto Socorro. Se algo mudar na saúde, minha detenção vai valer a pena”, contou George.

PUBLICIDADE

Recomendados