Passagem de ônibus volta para R$ 3,80 a partir desta terça

Ponta Grossa

11 de novembro de 2019 11:52

Da Redação


Relacionadas

Projeto de extensão da UEPG forma Educadores Sociais

Audiência pública discutirá Tarifa Zero na Acipg

Lideranças pedem debate mais amplo sobre Tarifa Zero

“Pagamento será facultativo”, diz Rangel sobre Tarifa Zero
Campo Experimental possibilita pesquisas geotécnicas na UEPG
Alunos de CMEIs e Escolas visitam futuros locais de estudo
Natal Iluminado gera empregos e reaproveita material
Novo valor passa a valer a partir de 0h desta terça-feira Foto: Arquivo aRede
PUBLICIDADE

Decisão atende a ação do deputado federal Aliel Machado que pedia a anulação do decreto de setembro deste ano; passagem de ônibus volta a custar R$ 3,80

Foram intimados na manhã desta segunda-feira (11) representantes da Viação Campos Gerais (VCG) e da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) sobre a decisão judicial que determina a redução no valor da tarifa do transporte público municipal. Com as notificações entregues, a empresa e o Município devem anunciar em breve que a tarifa do transporte coletivo voltará a custar R$ 3,80 a partir desta terça-feira (12), de acordo com a Procuradoria Geral do Município (PGM).

Como as intimações foram entregues nesta manhã, os ônibus precisam ser recolhidos ao pátio para que o sistema de bilhetagem eletrônica seja reprogramado para o novo valor. Tanto a empresa quanto a PGM ainda não informaram se pretendem recorrer da decisão assinada pela juíza Luciana Virmond Cesar

A decisão judicial atende a ação do deputado federal Aliel Machado (PSB), que solicitou a anulação do decreto 16.425 de 2019, do prefeito Marcelo Rangel, que havia autorizado o reajuste da tarifa do ônibus a R$ 4,30, em setembro deste ano.

Após ter suspendido o aumento de 2017 (em decisão cujos efeitos práticos ainda são discutidos), a magistrada decidiu sustar o aumento de 2019 até o cumprimento, pela Prefeitura e pela Viação Campos Gerais, das recomendações feitas pelo TCE-PR no relatório de fiscalização nº 106/2018 – CAUD, que se relacionam e interferem no cálculo do valor da tarifa.

Entre as falhas apontadas pelo Tribunal de Contas e por Aliel, e acolhidas pela Juíza, estão a falta de estrutura adequada para o acompanhamento da execução contratual, sobretudo no que diz respeito à utilização de Tecnologia da Informação em Centro de Controle de Operações, pouco controle sobre capital imobilizado, além de necessárias reformas nos terminais visando à adequação às normas de acessibilidade, entre outras.

Em caso de descumprimento das obrigações fixadas, os réus incidirão em multa de R$ 100 mil para cada um, VCG e Município. 

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização