Aliel se posiciona a favor de prisão em 2ª instância

Ponta Grossa

14 de novembro de 2019 22:03

Afonso Verner


Relacionadas

Binário da Carlos Cavalcanti deve começar na segunda

PM flagra comércio de drogas em PG e leva três à delegacia

Carro capota após batida no centro e tumultua trânsito

Rangel diz que toque de recolher pode continuar
Instituto Vida arrecada aparelhos eletrônicos
Piloto de motocicleta fica ferido em acidente com carro
Rangel participa de evento internacional sobre pandemia
Foto: Imagem: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Deputado defende mudança os artigos 102 e 105 da Constituição Federal (CF) e crítica "impunidade"

Durante a entrevista desta quinta-feira, o deputado federal Aliel Machado (PSB) também falou sobre temas relacionados à atuação em Brasília, entre eles a prisão após condenação em 2ª instância. “Sou a favor da mudança na legislação, dentro do artigo 102 e 105, isso não é causa pétrea. A alteração permitiria que a condenação em 2ª instância passe a ser considerado trânsito em julgado”, afirmou Aliel.

O deputado disse ainda que a alteração evitaria a “protelação” conseguida por aqueles(as) réus(rés) com mais condições financeiras. “O que vemos são pessoas com condições financeiras protelando com bons advogados, fazendo com que as condenações caduquem”, afirmou Aliel. O deputado defendeu ainda que o “combate à corrupção e à impunidade” não pode ter “partido ou lado político”. 

O deputado federal Sandro Alex (PSD), atualmente no cargo de secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, também se manifestou a favor da prisão em 2ª instância.

Liberdade de Lula

Ao falar sobre a soltura de Luiz Inácio Lula da Silva, fato que intensificou a discussão sobre a prisão em 2ª instância, Aliel foi pontual. “Pra mim é um erro o judiciário ser conduzido por questões pessoais, seja para ajudar ou prejudicar uma pessoa e isso desencadeia paixões políticas extremas”, disse Aliel citando o caso de movimentos políticos extremos. 

“O Supremo [Supremo Tribunal Federal] deveria ter uma postura mais firme e menos política. A mudança da posição do Gilmar Mendes é um exemplo. isso tudo traz insegurança jurídica que é péssima para o país”, disse Aliel. “Os extremos políticos querem isso e vivem disso, o parlamento não discute coisas que importam o país como a retomada do crescimento, mas sim apenas polêmicas vazias”, destacou o deputado.

PUBLICIDADE

Recomendados