Homem liga à PM após matar esposa com barra de ferro

Ponta Grossa

17 de novembro de 2019 11:00

Fernando Rogala


Relacionadas

UniCesumar cria projeto de empregabilidade para alunos

Novo calçadão será polo gastronômico, diz prefeito

Rangel teme explosão da covid após Dia dos Pais

Hospital Bom Jesus realiza 2ª Feijoada Beneficente
Densa neblina faz Ponta Grossa sumir do ‘mapa’
Carro cruza preferencial e causa acidente em PG
UEPG arrecada fundos para ajudar estudantes
Crime ocorreu no Jardim Gralha Azul Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Após cometer o crime ele ainda tentou se matar, cravando uma faca por duas vezes no pescoço, deitou para morrer. Mas acordou pela manhã e ligou para a polícia

Mais um caso de feminicídio foi registrado em Ponta Grossa na madrugada deste domingo. Um homem de 42 anos matou a esposa na própria residência após agredi-la com uma barra de ferro, tentou se matar ao cravar uma faca por duas vezes no próprio pescoço, deitou ao lado dela por algumas horas, não morreu, e ligou para a polícia para contar o ato. Ele confessou o que fez para a polícia, foi autuado por homicídio qualificado, foi levado para o hospital e as oitivas ocorrerão após ele ter alta. A mulher, de 38 anos, foi identificada como Alexsandra Rodrigues de Souza. Eles moravam na rua Parque Barigui, no Jardim Gralha Azul, bairro Contorno.

De acordo com o delegado Maurício Souza da Luz, da Polícia Civil, que estava de plantão e atendeu ao caso, o desentendimento entre o casal ocorreu em uma discussão, cujos motivos ainda serão apurados. Contudo, após essa confusão, eles dormiram. Porém, por volta das 3 horas deste domingo (17) o homem levantou, pegou uma barra de ferro e desferiu dois golpes sobre a cabeça da mulher. “Foi um homicídio qualificado pelo feminicídio e por impossibilitar a defesa da vítima”, informou o delegado.

Após cometer o crime, o homem teria pegado uma faca de serra de cozinha e tentou tirar a própria vida. Segundo o depoimento que o homem deu para a Polícia Militar, explica o delegado, o homem relatou que cravou toda a faca no pescoço, até o cabo encostar na pele, a retirou, e a cravou novamente no pescoço, em outro lado. Depois disso, ele teria deitado ao lado da já falecida esposa.

“Ele deitou para morrer ao lado do corpo. Porém acordou por volta das 6 horas e estava na situação. Ao lado dele tinha bastante sangue”, explicou o delegado. Na casa também morava o filho do casal, um rapaz de 18 anos, que não teria desconfiado do crime. “Ao acordar ele foi até o quarto do filho, falou o que teria acontecido, e ele mesmo acionou a Polícia Militar. O filho também ligou para a PM”, explicou Maurício Luz. A criminalística foi acionada e o IML recolheu o corpo da mulher.

De acordo com os socorristas, as duas facadas não atingiram nenhuma área vital. “Passou muito perto, foi por pouco, mas a princípio ele não corre risco”, disse o delegado. O homem de 42 anos foi autuado por homicídio qualificado e agora as oitivas ocorrerão depois que ele receber alta do hospital para onde foi conduzido. 

PUBLICIDADE

Recomendados