PG projeta fechar 2021 com cerca de 900 condomínios

Ponta Grossa

02 de dezembro de 2019 19:52

Fernando Rogala


Relacionadas

‘GEIV’ virá a PG neste fim de semana para homologar IFR

OAB na Comunidade acontece neste sábado em Ponta Grossa

Faculdade Sagrada Família abre inscrições para o Vestibular

Decoração natalina reforça PG como destino turístico
Bombeiros de PG receberam centenas de cartinhas de Natal
Rangel propõe amplo debate do Tarifa Zero em 2020
Câmara analisará doações no Parque Ecotecnológico
Um dos diferenciais que atrai as pessoas aos condomínios é a segurança Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Crescimento deverá ser de cerca de 50% em relação aos 600 residenciais que haviam na cidade ao final de 2015 


O ‘boom’ imobiliário de Ponta Grossa é visível nos últimos anos, com os diversos edifícios entregues ou ainda em construção no município. Um levantamento realizado pelo Departamento de Urbanismo da Prefeitura de Ponta Grossa comprovou isso em números ao mostrar que entre 2012 e agosto de 2019 mais de 30 mil obras foram realizadas na cidade, que somaram 5,6 milhões de metros quadrados construídos. Especificamente de edifícios e residenciais fechados, o crescimento também é expressivo: em seis anos o número de condomínios deve crescer 50%, informa Willian dos Santos, diretor da Super Zelo Administradora de Condomínios, organizador do evento Super Síndico, realizado na última semana na cidade. 

“Ponta Grossa hoje possui cerca de 800 condomínios. A cidade saiu de 600 condomínios em 2015 para uma previsão de 900 ao final de 2021. Há muitas obras aprovados e muitos projetos para serem lançados”, explica o profissional da área no município. Nessa média, a cidade contabiliza cerca de 50 novos condomínios, em uma conta que entram os mais diversos projetos. “São prédios, loteamentos fechados, e condomínios com edifícios ou casas; além dos comerciais e empresariais”, completa Santos, ainda explicando que a maior parte dos condomínios, cerca de 70%, são prédios. 

Para ele, é o crescimento econômico da cidade, especialmente com a instalação das multinacionais, que está fomentando a construção civil na cidade, destacando-se em âmbito estadual. “Muitas construtoras de fora, inclusive, estão vindo de Curitiba para investir em Ponta Grossa. O mercado aqui está muito bom, há também facilidades para fazer os investimentos. Ponta Grossa está crescendo acima da média das outras cidades do Paraná”, ressaltou Willian dos Santos.

Uma das empresas que mais investiu na cidade nos últimos anos é a Prestes Construtora. Desde 2016, a empresa entregou quatro condomínios (Vittace Giana, Vittace Uvaranas, Vista Oficinas e Belas), com mais de 1,4 mil unidades habitacionais. Para 2020, prevê a entrega de mais dois (Vittace Jardim Carvalho e Vittace Oficinas), e em 2021 outros dois (Vittace Up e Inova), somando quase 2,7 mil unidades habitacionais entregues – isso sem falar nos previstos para entregar nos anos seguintes. Breno Prestes, diretor-presidente da construtora, também menciona a industrialização, o fato de ser uma cidade polo regional, e cita os centros universitários como diferenciais para o desenvolvimento. “Esse crescimento sustentado faz parte do planejamento estratégico da empresa que prevê oferecer empreendimentos em todas as regiões da cidade, de fácil acesso em excelentes localizações. Além disso, Ponta Grossa está crescendo, o que nos apresenta um horizonte com demanda”.


Empreendimentos se adaptam às novas tecnologias

Todo condomínio precisa ter a figura do síndico, reforça Willian dos Santos. É ele que atende as demandas e dá o direcionamento do que deve ser feito. Hoje, porém, há maior assessoramento aos síndicos, com a existência, por exemplo, das administradoras de condomínios. “Elas dão a orientação ao síndico do que deve ou não ser feito, o suporte na gestão, trazendo maior segurança ao administrar”, completa. Além disso, ele explica que os condomínios têm uma série de vantagens, como a comodidade de manutenção e especialmente a segurança, como sensores, câmeras de segurança, biometria. “A tecnologia está ajudando. E os condomínios estão se ajustando e investindo nisso”, conclui.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização