PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Professora de PG é morta a facadas em frente a escola

Ponta Grossa

04 de dezembro de 2019 20:48

Cristiano Barbosa


Relacionadas

Câmara Municipal de PG é vitima de Fake News

Atendimento de pacientes com sintomas respiratórios ampliado

Procon notifica postos sobre aumento antecipado em PG

Sessões da Câmara estão suspensas nesta semana
PG registra 150 novos casos em dia de UTIs cheias
Acipg não concorda com o fechamento do comércio
GM prende homem na Nova Rússia por tentativa de roubo
PUBLICIDADE

A professora Luciane Ávila, 42 anos, foi morta a facadas pelo ex-marido, em frete à escola onde lecionava 

Uma professora morreu após ser esfaqueada em frente à Escola Desafio na tarde desta quarta-feira (4) na Avenida Anita Garibaldi, no bairro São José em Ponta Grossa. A vítima foi identificada como Luciane Ávila, de 42 anos, e o crime aconteceu no momento em que estava chegando para trabalhar na instituição de ensino, junto com seu filho de 6 anos. Ela foi golpeada com várias facadas, pelo seu ex-marido. Um homem que tentou ajudá-la também foi ferido. 

O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado e prestou atendimentos à professora, mas ela acabou morrendo na ambulância. O rapaz que se feriu ao tentar intervir as agressões teve ferimentos leves e foi encaminhado ao Hospital. A faca usada no crime foi abandonada em uma residência nas perto da escola. A Polícia Cientifica foi acionada para realizar a perícia do crime.

Segundo informações divulgadas pela Polícia, o principal suspeito das agressões é ex-marido da Luciane Ávila, resultando em mais um caso de feminicídio na cidade. O suspeito, Marcelo Ávila, de 43 anos foi preso pela Polícia Militar por volta das 16 horas na PR-151, divisa com a cidade de Carambeí. Marcelo teria fugido do local do assassinato em uma moto Honda CG 150 preta, que foi encontrada por policiais nas margens da rodovia. Os policiais receberam informações que o suspeito estaria fugindo da cidade, e se deslocaram com várias viaturas para um cerco na região e encontraram o suspeito andando ao lado da rodovia.

Em entrevista para o  Jornal da Manhã e Portal aRede o Capitão Gustavo Brinski explica como foi a localização do acusado. “Primeiramente recebemos uma informação via 190 do crime ocorrido. Feito o atendimento, foi levantado informações do autor e do veículo e foram repassadas as informações ao serviço de inteligência e levantamos que o suspeito estaria nas proximidades de Carambeí. Foi feito um cerco com as viaturas operacionais e foi localizado a motocicleta e o autor andando no acostamento sentido Carambeí. Foi feita a abordagem, ele não reagiu na hora da prisão e foi encaminhado para a delegacia pelo crime de feminicídio.” complementa.

Familiares, amigos e ex-alunos da professora prestaram condolências à família através das Redes Sociais e expressam seus sentimentos pela morte trágica da professora.

Luciane Ávila deixa três filhos e seu corpo está sendo velado na Capela Municipal São José e o sepultamento acontece nessa quinta-feira (5) as 15 horas.


Suspeito desconfiava de traição

Em entrevista ao Portal aRede e Jornal da Manhã, Marcelo Ávila, de 43 anos, assumiu o crime e fala que o motivo foi uma traição que ele descobriu “Houve uma traição e eu fiz no calor do momento. Eu amava ela”, ressalta. “Nós éramos ministro da igreja e nós dávamos palestra nos encontros matrimoniais, nós tínhamos 25 anos de casados e ela me traiu”. Questionado se havia premeditado o crime, Marcelo afirma que não. “Não eu não premeditei. Nós não estávamos bem separados, ela não me deixava ver meu filho e eu fiz de cabeça quente. Eu amava ela”, complementa

PUBLICIDADE

Recomendados